quinta-feira, 31 de março de 2005

Não mexe!

Esta é a frase mais pronunciada lá em casa e onde quer que levemos o nosso cachopo. Com quase 20 meses é um miúdo cheio de vitalidade. Quer experimentar tudo, tocar em todas as coisas, descobrir tudo no mundo que o rodeia. Já começa a perceber algumas brincadeiras como as escondidas e a apanhada. Quando chega a hora da sesta é um sossego para nós.

Já vi muitos pais e avós surpreendidos (e por vezes à beira do desespero) com a vitalidade dos miúdos. Existem muitas expressões para caracterizar esse comportamento habitual das crianças. A mais engraçada dessas expressões que ouvi até hoje foi: "Parece o diabo num monte de folhas!" É mesmo isso. O meu pequeno "diabinho" costuma deixar tudo de pantanas. A foto abaixo é um flagrante de uma dessas diabruras.

6 comentários:

Anónimo disse...

Diverte-te e aproveita estes momentos, pois não se repetem.

F.

marvi disse...

Que bom que ele mexe!
E é assim que eles aprendem...
A sua preocupação seria bem maior se ele não mexesse, acredite.
:-)

Anónimo disse...

Olá Marco :-)

O Gabriel tem 20 meses (nascido a 17/07/2003) e também não nos dá sossego, lol. No outro dia, estava a ralhar-lhe por ele estar a mexer no caixote do lixo e para me comprar sorriu-me. Vendo que o seu estratagema não estava a resultar, deu-me um grande xi-coração :-)) Quem é que resiste? Eles são muito fofos, mesmo se por vezes não conseguimos aguentar tanta energia.

Muitos beijinhos para o teu menino, para tua mulher e para ti claro ;-)

Anabela

Nino disse...

Já não bastava louvar o treinador que não serviu o glorioso, ainda se põe a roubar postes desta forma clamorosa. Para a próxima, ao menos mude o penteado do miúdo.

Marco disse...

Roubar postes por telepatia!
:-)
Quanto ao penteado do miúdo, vou deixar que ele use aquela vassoura!
:-D

Margarida disse...

Sei bem o que isso é. O Bruno tem agora 21 meses e uma curiosidade insaciável. Mas não se limita a mexer, quer "ajudar": tira os tachos dos armários e vem dar-mos ou tenta pô-los em cima do fogão, por exemplo. E assim é que é bom. É preferível ter uma criança curiosa e mexida do que uma apática.
Beijocas,