sexta-feira, 27 de maio de 2005

Linux ou Windows?

Ouvi na passada 4ª feira, Jerónimo de Sousa questionar o nosso Primeiro-Ministro sobre vários aspectos das medidas tomadas para conter o défice das finanças públicas. Entre as muitas coisas, perguntou "Quanto paga o Estado à Microsoft?" Apesar de não ter simpatia pelos comunistas, gostei de ouvir aquela questão colocada ao Governo. Eu próprio também já aqui questionei quanto é que o Estado Português gasta em licenças de Windows e Office.

A opção pelo Linux, em detrimento do Windows, permitiria várias coisas:
  • Redução dos custos de aquisição de software;
  • Redução dos custos de manutenção de software;
  • Várias empresas poderia orientar os seus serviços para esta área (criando uma concorrência sempre saudável ao mercado e quebrando-se o monopólio);
  • Algum alívio no mercado de trabalho da informática (surgiria maior procura por técnicos de Linux).
Por outras palavras, reduzia-se a despesa pública e dava-se um pequeno impulso ao famigerado "choque tecnológico".

A ler: LINUX vs. WINDOWS, A comparison of Linux and Windows de Michael Horowitz.

4 comentários:

pinto ribeiro disse...

explica lá essa...quem é a firma?

Marco disse...

Podem ser várias; aliás, pode ser qualquer uma. O código fonte do Linux é do domínio público.
Com o Windows, a firma só pode ser uma. O código fonte do Windows é segredo.
Não conheces o mercado, certo?

pinto ribeiro disse...

SINCERAMENTE, POUCO. mas faz-me confusão ver essa preocupação com um assunto tão espiritual. onde é que entra aqui a salvação bahái? mas tá bém. obrigado, grato, venerando.

F Cirilo disse...

Marco,
Estás a pedir aos responsáveis por este país uma coisa que se chama "coragem política". Podes esperar sentado... Há muitos interesses instalados...