sexta-feira, 9 de setembro de 2005

David Ruhe (1914-2005)



É a lei natural da vida! Por vezes lá recebemos uma notícia de alguém querido ou conhecido que faleceu. Desta vez foi David Ruhe, um antigo membro da Casa Universal de Justiça (o corpo supremo que administra a comunidade internacional baha’i). Conheci-o em 1991, quando fiz a minha peregrinação à Terra Santa. Lembro-me de o ouvir para o grupo de peregrinos sobre o significado de alguns locais que íamos visitar ali na Terra Santa.

Alguns anos mais tarde comprei um livro da sua autoria: Door of Hope, um livro sobre a importância para os baha'is de vários lugares associados à vida de Bahá'u'lláh e de 'Abdu'l-Bahá. Lembro-me que ao ler o livro recordei as suas palavras que ouvi durante a peregrinação.

David Ruhe aceitou a religião baha'i em 1941, em Filadélfia. Foi membro de vários órgãos administrativos dentro da comunidade, e em 1968 foi eleito para a Casa Universal de Justiça. Além da sua profissão (médico) tinha duas paixões: a escrita e a pintura. Quando em 1993, deixou a Casa Universal de Justiça, David Ruhe e a sua esposa mudaram-se para Nova Iorque, onde se dedicou à produção de uma série de documentários televisivos sobre a religião bahá'í. Faleceu no passado dia 6 de Setembro.

Notícia completa (em inglês) no BWNS.

3 comentários:

João Moutinho disse...

Não tive o prazer de conhecer David Ruhe, pois quando cheguei a Israel foi em 1996.
Conforme dizes é a "lei da vida". Lembro-me sempre do privilégio de ter tido oportunidade de poder assistir (e participar) em palestras dos membros da Casa Universal de Justiça.
Certo o quão gratificante terá sido para ti poder ouvi-lo e ler os seus trabalhos.

F Cirilo disse...

O Moutinho e as suas histórias de Israel... O homem não se controla. Tem de estar sempre a falar disso... Parece os antigos combatentes sempre a falar de histórias em Angola ou na Guiné...
Digam-me lá uma coisa: vocês andam a fazer alguma coisa pelos desgraçados do Katrina?

Marco disse...

Cirilo,
Tenho lido várias notícias sobre actividades de várias comunidades baha'is nos EUA para apoio às vítimas do Katrina e das inundações de Nova Orleães. Uma dessas notícias está publicada no blog Monte Carmelo ("Myriad faiths rise to Katrina's challenge"). Também sei que no site da comunidade baha'i dos EUA está uma recomendação aos baha’is que queiram fazer donativos a favor das vítimas o façam através da Cruz Vermelha.

Quanto às constantes referências do João Moutinho à sua estadia em Israel, só podemos concluir que foi uma experiência muito marcante. Creio que ele esteve lá como voluntário a trabalhar no Centro Mundial Baha’i. Entre os baha’is portugueses são poucos os que tiveram essa experiência.