terça-feira, 11 de outubro de 2005

Conceptualizar a religião

"No século vinte, as outras religiões [não-cristãs], sob a influência de cristãos e desafio de missionários cristãos, procuraram sistematizar as suas crenças, para que se pudessem apresentar a par do Cristianismo. (...) Estas representações não são um produto natural destas religiões, mas algo que foi imposto pelo Ocidente nos tempos modernos. Em parte é uma resposta, e, em parte, é uma defesa contra o que foi designado por «imperialismo cultural do Ocidente». Representa uma intelectualização que pode ser suficiente para quem pretende livros organizados, mas ainda é insuficiente para quem deseja perceber o que é a religião."

Moojan Momen in The Phenomenon of Religion: A Thematic Approach.

2 comentários:

João Moutinho disse...

A tradução é da autoria de Marco António Oliveira?
E a conceptualização ocidental nasceu de onde? Não há por aí alguma influência grega? romana? maometana? maniqueísta?
E como explicar a disseminação do budismo no mundo ocidental?

Marco disse...

A tradução é minha.
Tentando definir o que é religião, o autor compara o conceito de religião em diferentes culturas. Segundo ele, no Ocidente cristão a religião costuma ser associada a um conjunto de crenças e no Oriente geralmente é associada a um conjunto de práticas. Isso teria levado a um certo sentimento de superioridade intelectual por parte de teólogos cristãos.
Não sei onde terá nascido essa conceptualização do cristianismo. Para mim o conceito está associado a nomes como Sto Agostinho e S. Tomás, mas não sei a quem se refere o Moojan Momen quando aborda este assunto.