segunda-feira, 24 de outubro de 2005

Sondagem de Opinião

Aqui, e na Terra da Alegria de hoje, uma BD obtida na revista Le Monde des Religions. Clic na imagem para aumentar.

29 comentários:

Anónimo disse...

Marco

Para além de simplificação que faz das duas doutrinas, e que pode levar a algumas conclusões erradas, o cartoon parace-me sobretudo errado ao colocar Bush e Bin Laden ao mesmo nível. Por muito que não gostemos do Presidente americano os objectivos dele são bem distintos dos de Bin Laden. Talvez faça falta a muitos ocidentais uma temporada no Afganistão dos talibans para perceberem as diferenças...

João Moutinho disse...

Queria não só corrobar o que diz o Anonónimo mas também acrescentar o quão infeliz é querer juntar essas duas personalidades e tudo o que elas representam.

João Moutinho disse...

Queria não só corrobar o que diz o Anonónimo mas também acrescentar o quão infeliz é querer juntar essas duas personalidades e tudo o que elas representam.

João Moutinho disse...

Não é meu objectivo dizer duas vezes a mesma coisas - pelo menos num só texto.

Marco disse...

Nunca pensei ter de explicar este cartoon, mas cá vai: trata-se de uma caricatura do aproveitamento que ambos fazem do fenómeno religioso para obter apoios políticos. Talvez seja a única coisa em que eles se assemelham. Acho muito estranho conseguir neste cartoon fazer outras leituras que não essa.

dina disse...

Eu confesso que não sei nada de Francês para opinar, mas tenho pena. Mas há uma coisa que sei ... de uma BD é possivel tirar imensas leituras, o díficil é tirar só uma.

Marco disse...

Dina,
Então tens que aprender francês.
:-)
Esta prancha não tem nada de político. É apenas uma crítica à atitude dos dois face à religião.

João Moutinho disse...

"trata-se de uma caricatura do aproveitamento que ambos fazem do fenómeno religioso para obter apoios políticos."
- Nem por isso deixo de considerar a caricatura como francamente infeliz e ofensiva às mulheres e homens de "boa vontade".

Marco disse...

Moutinho,
Quem são as mulheres e homens de "boa vontade" ?
São os que manipulam a religião para obter apoios políticos??? :-O

Anónimo disse...

Marco

Não me parece que a leitura seja assim tão pacífica.
É verdade que o Presidente americano fala em "eixo do Mal" e outras expressões que remetem para o universo religioso. Mas a luta dele, aceitemos ou não, é declarada em nome da democracia. Não é o Cristianismo contra o Islão. Ele pode ser cristão e agir por convicções cristãs, mas o objectivo proclamado é totalmente político. Já Bin Laden proclama a guerra religiosa, a supremacia de uma religião sobre outra, fala em infiés e não se importa de os chacinar porque para ele não têm qualquer valor. As diferenças, no meu ponto de vista, são abismais.
Podemos acrescentar ainda o pequeno pormenor de o cartoon ser francês...

Anonymous #2
(o primeiro comentário também é meu)

João Moutinho disse...

Marco,
"Quem são as mulheres e homens de "boa vontade" ?
São os que manipulam a religião para obter apoios políticos??? :-O"
Limito-me eu, singelo mortal, a denunciar a aberração que é colocar as duas personalidades num pé de igualdade e tudo o que elas representam.

Anónimo disse...

Marco

É certo que o Presidente americano usa expressões como "eixo do Mal" que remetem para o universo religioso, e que é cristão e as suas convicções cristãs podem dar algum suporte à sua iniciativa. Mas os seus objectivos são puramente políticos ( e económicos, segundo alguns).
Já o Bin Laden luta em nome da religião, quer impor uma religião e oprimir outra, chacina infieis porque, para ele, não têm valor enquanto seres humanos.
Como disse, a diferença é abismal. E o que o cartoon faz é por Bush e Bin Laden ao mesmo nível.
Já agora, e porque estas coisas não são por acaso, há que não esquecer a origem francesa do cartoon...

Anonymous #2

João Moutinho disse...

Há favores que não se perdoam. Saberem os franceses que são livres por causa dos americanos...se a sua liberdade fosse exclusivamente por mérito próprio.
O que é certo é que os iraquianos votaram livremente pela primeira vez na vida. Para isso foi necessário travar uma guerra (que não deixa de ser de agressão).
Os americanos e britânicos (e outros europeus) são responsáveis por ambas as acções.
Para Bush (ou o que ele representa), Sadam é "infiel" porque oprimia o seu próprio povo, e não pelo facto das suas convicções serem diferentes, nomeadamente as religiosas.
O "bastão da justiça" certamente não foi entregue aos franceses - nem portugueses ou britânicos.

Marco disse...

Meus caros,

Repito que o cartoon não compara o modelo de vida americano com o modelo de vida idealizado pelos radicais islâmicos, mas apenas a manipulação que o Bush e Bin Laden fazem da religião.

Obter, ou manter, o domínio mundial é sempre um objectivo político. Esse objectivo não passa a ser religioso por se invocar, mais ou menos, pretensos valores de uma religião.

Tem estado a ser exibido no canal História um documentário sobre a forma a religião foi um aspecto determinante na evolução política do Bush. Vale a pena ver, pois parece-me mais objectivo do que os documentários do Michael Moore.

Considerar a luta do Bush como tendo sido "declarada em nome da democracia" parece-se muito simplista. Acima de tudo são os grandes interesses financeiros que hoje determinam grande parte daquilo que são os actos dos governos do mundo (não apenas os EUA).

João Moutinho disse...

"Considerar a luta do Bush como tendo sido "declarada em nome da democracia" parece-se muito simplista."
O facto de concordarmos com aquilo que opinas não nos faz retirar as considerações anteriores.

dina disse...

eu avisei-te Marco!
uma BD tem milhares de leituras :)
Por muito que digas que ela só fala "disto e daquilo", vão existir sempre outras pessoas que entendem "isto e aquilo" ... Vou oferecer-te uns livros de BD para treinares :)

F Cirilo disse...

Pois eu acho que esta hiper-sensibilidade em relação a tudo o que diga respeito aos americanos, não é nada boa. Cheira logo a facciosismo anti-americano ou pró-americano. Quando apenas se vê preto ou branco (e não se percebe que existem MUITAS tonalidades de cinzento) então a conversa não leva a lado nenhum.

João Moutinho disse...

Cirilo,
Não me parece que haja aqui uma questão de "facciosismo anti-americano ou pró-americano". Há a repúdia em considerar aquelas duas figuras em pé de igualdade.

F Cirilo disse...

João Moutinho,
Então não se pode brincar com o Bush? Porquê? Porque foi eleito? porque é presidente da superpotência americana?

e já agora: imagina quanto muçulmanos (radicais, claro!)ficaram ofendidos por ver o seu querido Bin Laden ao lado do Bush nesta banda desenhada!

então com quem é que se pode brincar? Ou será que na vossa religião brincar é pecado?

João Moutinho disse...

Não me parece que brincar seja algum pecado.
Mas neste caso a haver brincadeira é de um péssimo gosto.
Considero-a ofensiva às "pessoas de bem".
Também hoube nazis que se escandalizavam por Heidrich (ou uma personagem do género) ser comparado a Einstein no gosto pelo violino.
Não é por isso que não deixamos condenar tudo o que um representa e a possível relativização do Mal.

F Cirilo disse...

Joao Moutinho,
Então e brincar com a idade do Mário Soares? Será uma ofensa ao Mário Soares ou aos velhotes?
E comparar o Cavaco com o Salazar? Não irão as populações de Boliqueime e de Santa Comba Dão dizer que se trata de uma piada de péssimo gosto?
E comparar-te a ti com o Sam (o Gavião moralista dos Marretas)?

João Moutinho disse...

O amigo Cirilo está a utilizar a estratégia de fingir não entender aquilo que digo, ou pretendo dizer.
Aquilo que se passa é que colocar aqueles dois em plano de igualdade é uma situação mais corrente do que deveria ser, e nem sempre o é feito no plano cómico.
E por hoje já chega de defender o Eixo do Bem, portanto não provoquem as pessoas bem intencionadas como é o caso do SAM, ou mando chamar o Tio Sam.

dina disse...

Pelo que tenho entendido dos vossos comentários parece-me que afinal a BD se refere a:
Duas peixeiras que vivem na rua do Marco. Uma só vende sardinha e outra carapau. Ambas dizem que o peixe delas é que é bom e só esse devia existir. No fim uma dá com o carapau na cabeça da outra e perde toda a razão (bin laden) aí a outra atira a canastra do carapau para o chão e pede ajuda aos vizinhos da rua, para colocar os carapaus no seu cesto de sardinhas (bush). Parece-me que este é o significado da BD.

dina disse...

desculpem, faltou a parte mais importante: "quem tem direito aos carapaus?"

Pitucha disse...

Adorei! Achei hilariante e tão, tão verdadeiro.
Beijos

João Moutinho disse...

Não me está a parecer que haja aqui alguma "peixeirada", até porque as peixeiras devem ser consideradas como "pessoas de bem".
Mas é a opinião deste singelo e falível mortal.
Além de que os americanos e talibãs, na sua maior parte. parece não apreciarem muito o peixe - não sabem o que é bom.

João Moutinho disse...

Mas teve graça Dina!

dina disse...

obrigada pitucha e joão.
e joão, de maneira nenhuma queria ofender as peixeiras, conheço algumas e acho-as bastante divertidas e lutadoras... mas claro a imagem que me veio à cabeça foi logo de uma boa "peixeirada".

dan disse...

drôle... très drôle... et également vrai... ça fait réfléchir.