quinta-feira, 2 de fevereiro de 2006

A propósito da visita do Sr. Gates



A propósito da visita do CEO da Microsoft a Portugal (e de todo o evento mediático que se foi fazendo ao seu redor) ficam umas dúvidas:

Quanto gasta actualmente o Estado Português em licenças Windows e MS-Office?

Quanto pouparia se usasse Linux e Open Office?

Será que o tal choque tecnológico implica que Portugal se torne uma coutada da Microsoft?

----------------

ACTUALIZAÇÃO:


Sobre este assunto recordo um post publicado aqui há cerca de um ano: Linux na Administração Pública?

5 comentários:

timshel disse...

ora aí está uma excelente questão

(Marco, existe um problema qualquer no teu blogue pois quando cá venho saltam uma data de pop-ups bastante incomodativas - espero que não seja retaliação da microsoft lool)

Marco disse...

Timshel,
Não faço ideia porque é que isso aconteça.
Isso só acontece neste blog?

João Moutinho disse...

Já me acontececeu ter de trabalhar em Open Office e a experiência não foi nada encorajadora.

Marco disse...

João,
O primeiro contacto com qualquer aplicação informática é sempre um stress (sobretudo para quem não trabalha em informática).

Aposto que os teus primeiros contactos com Word e com Excel foram bem desmoralizantes.

É natural que com o Open Office tenha acontecido a mesma coisa.

timshel disse...

dos blogues que costumo visitar (e ainda são algumas dezenas por dia) só acontece com este

ainda há uns segundos abri-o sem ter activado o sistema anti-pop-ups e o sistema foi abaixo completamente

agora abri-o sem grandes problemas porque activei o sistema anti-pop-ups