domingo, 28 de maio de 2006

Ainda as detenções no Irão

O que se segue é um email recebido de uns tios de algumas dos jovens bahá’ís detidas no passado dia 19 de Maio, em Shiraz, no Irão (ver notícia aqui). O texto foi escrito pouco depois da libertação das jovens, e é publicado com autorização do autor.

------------------

24 de Maio de 2006

Estimados amigos e familiares

Agradeço imenso as vossas orações e as vossas palavras de conforto e solidariedade para com os jovens bahá'ís recentemente detidos no Irão. Temos notícias para partilhar convosco: a maioria dos prisioneiros foi libertada. Os restantes deverão ser libertados amanhã. Alguns ainda deverão continuar na prisão.

As três sobrinhas da Azadeh foram libertadas hoje com um grupo de cerca de 40. Outros 14 têm a libertação prevista para amanhã, e há outras 3 pessoas que foram apontadas pelas autoridades como devendo permanecer presas. As famílias de todos os que foram libertados tiveram de pagar uma caução (exemplo: hipotecas de casas ou negócios). Hoje, no exterior da prisão quando eles foram libertados houve um grande congestionamento de trânsito. Eram tantos familiares e amigos que apareceram com flores e outras expressões carinho, que as pessoas na rua perguntavam o que era tudo aquilo.

Tivemos a oportunidade de falar ao telefone com a Martha, a Maaman e a Rahil, hoje por volta das 14H00. Estavam exaustas mas partilharam algumas experiências. A primeira coisa que a Martha disse foi em inglês; disse que tinha sido "engraçado" e que já tinha saudades de estar na prisão. Disse ainda que todos os jovens (rapazes e raparigas separados, claro) estiveram juntos a cantar e a orar durante todo o tempo e que havia uma atmosfera de grande alegria espiritual no local. Maaman, que mal conseguiu falar por estar exausta, disse que todas as orações foram sentidas porque enquanto estava a ser interrogada, sentiu que não era ela que estava a falar. Ela sentiu como se fosse o próprio Bahá'u'lláh que estivesse a responder às perguntas dos interrogadores. Rahil estava exuberante. Apesar de não nos conseguir ouvir bem devido à pressão de tantos amigos e familiares que estavam ao seu redor, disse que em três das cinco noites em que ali estiveram, sonhou que nós estávamos com ela. Todas as três nos pediram para agradecermos a todos pelas vossas orações.

Jesus disse "Bem-aventurados os perseguidos devido à sua rectidão". De que outra forma podemos considerar (account) uma experiência assim transcendente? Mas agora que tantos foram libertados, não nos podemos esquecer dos que permanecem detidos. Devemos permanecer vigilantes e recordá-los nas nossas orações, pois foram seleccionados pelo clero para receber uma atenção especial. Penso que os testes serão mais fortes para aqueles que enfrentam a perseguição sozinhos, quando a multidão dispersa.

Obrigado a todos por tudo o que fizeram. Não conheço melhor maneira de descrever o significado de tudo isto, a não ser o quanto isto uniu tantos corações.

Com muito amor e gratidão

Mark e Azadeh Perry

4 comentários:

João Moutinho disse...

Oxalá não haja uma armadilha montada para os que ainda ficaram presos.

GH disse...

Pois é. Eu acho que os outros três que ficaram presos é que se vão lixar. Toda a gente se vai esquecer deles.

Olhando agora para este caso, acho que os mullahs apenas vos quiseram assustar.

Elfo disse...

Os nove dias ainda não passaram. O poder da oração é tremendo e poderoso.

Elise disse...

"Pois é. Eu acho que os outros três que ficaram presos é que se vão lixar. Toda a gente se vai esquecer deles."

espero que não! :S