terça-feira, 2 de maio de 2006

Festival de Ridvan



Entre 21 de Abril e 2 de Maio, os Baha'is celebram o Festival de Ridvan. Este período festivo assinala o momento em que o fundador da religião bahá'í anunciou publicamente a Sua Missão. O episódio ocorreu em 1863, em Bagdade, que na época era uma capital provincial otomana, e precedeu a partida de Bahá'u'lláh, alguns familiares e companheiros para um segundo exílio, em Constantinopla.

Estes doze dias são assinalados com várias actividades e celebrações. Um dos eventos que ocorre nesta ocasião é a eleição das Assembleias Baha'is, os órgãos que administram os assuntos da comunidade bahá'í.

12 comentários:

João disse...

Olá Marco, estive alguns dias de férias e como tal afastado da internet, mas volto agora ao convivio do teu blog que se tornou um lugar de passagem obrigatória.
Então, foste eleito para a assembleia nacional?

Marco disse...

Olá João.

Se eu tivesse sido eleito, talvez já alguem me tivesse dito alguma coisa... :-)

Elfo disse...

Se calhar tens que rever o teu blog ou pôr um filtro nos infiltrados como eu...! Há há há.

Pedro Reis disse...

Olá João, Marco e Elfo.
Elfo, a Convenção Nacional sem ti nem parece a mesma... :-)

Para satisfazer a vossa curiosidade, posso-vos dizer qual é a composição da nova Assembleia Nacional: ficaram os mesmos membros, à excepção da Fernanda Margaça que saiu, tendo entrado a Fátima Veiga do Porto.
Quem teve mais votos foi a Ana Zorro, achei curioso este facto.

Mais de metade da consultação entre os delegados girou à volta do Circulo de Estudo. Sobre este assunto acho que há muito por apreender, nomeadamente o facto de ser um curso de serviço e não de aprendizagem, ou seja, o objectivo é que os participantes aprendam a servir a sociedade, a serem cidadãos activos na construção de uma sociedade melhor...

Um grande abraço,

GH disse...

Marco,

Mas tu és (ou foste) candidato?

Pedro Reis disse...

Apesar de a pergunta não ter sido dirigida a mim gostava de responder ao GH, não obstante, sugiro ao Marco um post sobre o assunto.

GH, até tu serias candidato se fosses bahá'í, e mais, até o João Moutinho foi candidato! :-)
Pois, no sistema bahá'í, todos são candidatos, desde que tenham mais de 21 anos. É o sistema mais parecido com a democracia directa, em que todos votam e todos são candidatos sem haver candidatura pública, de resto é proibida a campanha eleitoral.

O que eu acho mais interessante neste sistema, é que ele funciona ao contrário das eleições normais, no sentido que, ninguém quer ser eleito, mas uma vez eleitos todos trabalham de alma e coração.

Elfo disse...

Todos os Bahá'ís maiores de 21 anos são passíveis de ser eleitos mesmo não sendo Delegados à Convenção.N a Fé Mundial Bahá'í não há candidaturas nem campanhas eleitorais; os dignos membros são eleitos após um período devocional silêncioso e a votação é feita por escrutínio secreto no qual só os Delegados à Conção podem votar.
Fico muito satisfeito por a querida amiga Ana Zorro ter sido quem teve mais votos, logo deve ser a Coordenadora da Assebléi Espiritual Nacional dos Bahá'ís de Portugal.
Não fui à Convenção pois tinha ido uma semana antes à Reunia Institucional e como não era Delegado da Minha zona e tinha o Aniversário da Universidade para o qual fui expressamente convidado afim de ser medalhado, achei por bem não à dita Convenção. Tive pena de não ter ido mas fiz orações pelo sucesso dos Elementos da nova Assembléia.

Elfo disse...

Peço desculpa pela disléxia ortográfica.
Assim onde está escrito: Conção, devia estar Convenção, onde está escrito:Assebléi, devia estar Assembléia, onde está escrito:Reunia, devia estar Reunião, omde está Minha, devia estar minha.(esta então é de bradar aos céus)
E mais alguma gralha que não dei conta.

Marco disse...

GH,

Nas eleições baha’is, não existem candidaturas, listas de candidatos, nem campanha eleitoral. Todos os baha’is com direito de voto são elegíveis.

Ao contrário do que disseram alguns comentadores, há crentes que gostam de ser eleitos e há outros que preferem não ser eleitos (porque não gostam de trabalho administrativo). De qualquer forma, os eleitos não possuem qualquer poder especial, nem têm um estatuto com qualquer superioridade em relação aos crentes que não foram eleitos.

Também não me parece correcto designar o sistema por “democracia directa” pois a eleição das Assembleias Nacionais e da Casa Universal de Justiça é feita por delegados e não por todos os crentes. Outra grande diferença do sistema eleitoral baha'i em relação aos sistemas políticos democráticos está no facto do processo de eleição se basear na escolha de vários nomes (e não de uma lista de candidatos).

GH disse...

Fiquei intrigado: há quem vote no João Moutinho?

João Moutinho disse...

Se até há quem te responda...

Pedro Reis disse...

A mim esta "relação" (...) entre o GH e o João Moutinho dá-me vontade de rir, sincera e honestamente.

Acho que vocês são muito parecidos, os dois muito inteligentes, mas com uma inteligência "desviante". Não vale a pena perguntar o que isto significa, eu também não sei!

Não é bom nem mau, apenas diferente... :-)