sexta-feira, 28 de julho de 2006

O falso Abrupto



Entrar na casa de outro, sem autorização, para roubar ou destruir, isso é crime. Não importa se é casa de rico, ou casa de pobre; é sempre um crime. E, de certa forma, um blog é como uma casa. É um espaço pessoal ou colectivo, cujo formato e conteúdo reflectem os interesses e as preocupações do(s) seu(s) autor(es).

O que está a acontecer ao Abrupto é uma tentativa de destruição do espaço de Pacheco Pereira. Não sei que legislação existe sobre esta matéria, mas espero que tudo isto se resolva rapidamente. Eu não gostava - mesmo nada! - que me fizessem isto.

4 comentários:

JPG disse...

Algumas informações em
http://apdeites.cedilha.com/?m=20060727

João disse...

Gostava de saber quem está por trás disso...será o Hezzbollah ou o Jorge Coelho:-)

Luz Dourada disse...

Velhacarias por todo o lado. Quem o fez vai concerteza passar um mau bocado, espero.

Até me custa acreditar! Grande lata!

Beijinho Marco,

Elfo disse...

Mas afinal o que é que fizeram ao Zé Pacheco?, deram-lhe a provar do próprio veneno?
Sim porque do que eu conheço do homenzinho, ele destila cobras e lagartos a pensar que tem o rei na barriga. Se calhar tem... não sei é por onde é que entrou. Se juntarmos a este senhor um Vasco Pulido Valente temos uma combinação perfeita de TNT bloguista.

As saudades que eu tenho dos debates televisivos deste senhor com o António Barreto. O Pacheco Pereira levava cada saraivada que vinha de lá de lado.

Foi uma pena terem endeusado essa mediocridade ao ponto de o considerarem a nata da intelectualidade do PSD. Não quero acreditar que tenham descido tão baixo.

Espero que não tenhamos todos memórias curtas para perceber porque é que esse senhor nunca quiz polémicas no seu blogg de estimação, não dando assim azo a que outros possam contradizer o que sua excelência diz do alto da sua catedra - cadeira de três pés, diga-se em abono da verdade -, o homem de intelectual tem menos que eu que sou analfaburro.

Estranho ainda mais quando o sujeito bota faladura e os jornais o citam como se de uma sumidade se tratasse. também é verdade que se não fosse esse episódio rídiculo de lhe parodiarem o blogg o homem já nem sequer era falado há que tempos, daí que me parece uma auto-promoção deliberada e feita pelo próprio JPP.

Tenho dito