segunda-feira, 7 de agosto de 2006

Uma entrevista reveladora

Uma entrevista com o Shiekh al-Azhar, Dr. Muhammad Sayyid Tantawi, foi publicada recentemente no jornal egípcio "al-Watany el-Youm" (A Pátria Hoje), com o título “Não me demitirei e não encerrarei o Centro de Investigação Islâmica de al-Azhar”. O entrevistador colocou algumas perguntas bem pertinentes ao Dr. Tantawi. Aqui ficam dois exemplos:

P. Qual o seu comentário à exigência de remoção do Segundo Artigo da Constituição Egípcia onde se declara: "O Islão é a religião do Estado... e a principal fonte de legislação é a Jurisprudência Islâmica (Sharia)"?

R. "Não vejo motivos para esta exigência, pois a Constituição há muito tempo que é baseada na Sharia Islâmica. Em particular, a Constituição Egípcia proporciona igualdade de direitos e responsabilidades para todos os cidadãos. Não existe opressão de não-Muçulmanos que exija a eliminação desse artigo..."

P. O Centro de Investigação Islâmica de al-Azhar apelou à eliminação dos Baha’is do Egipto. Qual é a sua resposta?

R. "Eles não pretenderam dizer morte com eliminação, mas eles pretenderam dizer que não devíamos ter contactos ou colaboração com eles; devíamos ostracizá-los... pois eles não pertencem a uma das três religiões reconhecidas... e uma Fatwa considerou-os heréticos..."

-----------------

COMENTÁRIO: A contradição nestas duas respostas é bem evidente. As respostas deste senhor fazem lembrar aquela frase do livro "O Triunfo dos Porcos": Todos são iguais, mas há uns que são mais iguais do que outros. Que se pode esperar de alguém que defende uma clara violação dos direitos humanos, invocando valores religiosos?

7 comentários:

Zé Manuel disse...

Siceramente não consigo entender qual é o teu objectivo ao publicar estas coisas!
Sabes é que de facto não consigo encontrar categoria para algumas coisas que tu pões aqui daí a razão pela qual digo “coisas”.
As vezes os teus postes são como daqueles filmes que acabam não acabando, deixando ao critério do espectador imaginar o final que quiser.
Talvez se te explicasse melhor!
Sem ofensas.

Marco disse...

Tudo isto tem a ver com os atropelos aos direitos cívicos dos Baha'is no Egipto. Se tens acompanhado este blog ao longo dos últimos meses, já sabes que tenho acompanhado este assunto. Será assim tão complicado perceber o problema e a forma como se tem arrastado?
E nos meus posts, se não conto o fim, é porque prefiro que cada um tire as conclusões por si próprio. É a livre e independente pesquisa da verdade... :-)

Zé Manuel disse...

Eu sei que tens seguido os desenvolvimentos do Caso de Egipto mas mesmo assim, como já disse, não consigo digerir a tua intenção real.
Que beneficio terá para as pessoas estes pormenores que as vezes só servem para criar mais confusão nas suas cabeças.
Me desculpe mas é o que eu sinto e as vezes pelos comentários que vejo isto é evidente

F Cirilo disse...

Os muçulmanos deviam envergonhar-se de gente como esta!
Geralmente os defensores dos sistemas totalitários têm descaramento para dizer este tipo de coisas. Há uma lógica irracional que lhes permite justificar tudo e mais alguma coisa. É por causa deste tipo de gente que muitas vezes me questiono até que ponto devemos aceitar num sistema democrático, quem está disposto a não aceitar as mais elementares regras de liberdade e igualdade.

dina disse...

então mas não são essas constantes contradições da religião (nenhuma em particular e todas num conjunto) que ao longo dos anos têm provocado guerras, perseguições, ... ? ou melhor não é a religião, mas sim quem se acha dono e senhor dela

João Moutinho disse...

Vim visitar o "Povo de Bahá".
Receio que a Sudeste haja "nada de novo".

mikolik disse...

Eu acho que percebo o que o Zé Manuel quer dizer, e se for o caso concordo com ele. Marco, este blog é para nós uma referência na blogosfera, e todos nós bahá'ís apreciamos o teu trabalho e dedicação. Porém, acho que ultimamente tens colocado demasiadas referências a questões relacionadas com o mundo Islâmico. Para as pessoas menos informadas, isso poderá levar a pensar que há uma profunda relação entre a Fé Bahá'í e o Islamismo. Essa "colagem" em geral carregada de preconceito é algo que sempre e cada vez mais devemos esforçarmo-nos por evitar e esclarecer. Acredito que seja também tua preocupação, mas não sei se ultimamente tens conseguido isso com sucesso. Não digo para não falares no assunto ou camufla-lo, mas pessoalmente não me desagradaria ver menos referências ao Irão e Egipto neste blog.
É apenas a minha opinião pessoal para construtivamente contribuir para a evolução do teu blog, o qual já tem uma excelente qualidade e utilidade.
Grande abraço.