quarta-feira, 25 de outubro de 2006

A Promessa de um futuro Salvador (2ª Parte)

A segunda parte de um excerto do livro The Phenomenon of Religion de Moojan Momen, onde se faz uma análise comparativa das promessas de um futuro Salvador existentes em todas as religiões.
-------------------------------------


No momento em que os assuntos do mundo atingem o seu ponto mais baixo, a religião torna letra morta e toda a esperança desaparece; então o prometido salvador erguer-se-á e proclamará a sua missão. Existem muitas profecias nas várias religiões sobre sinais milagrosos e portentosos que precederão e acompanharão a vinda do salvador. Algumas religiões profetizam a vinda de apenas um futuro salvador, enquanto outras profetizam mais do que um aparecimento em diferentes momentos no futuro. O Zoroastrismo, em particular, parece aguardar uma sucessão de figuras salvíficas: Hushidar, Hushidar-Mah, Bahram, Varjavand e Saoshyant [1]. A seguinte profecia menciona duas destas:
Auharmazd falou assim: Ó Zoroastro Spitaman! Quando o demónio com cabelos desgrenhados da raça da ira for visto no lado oriental, o primeiro um indício negro tornar-se-á manifesto, e Hushidar, filho de Zaratrusta nascerá no lago Frazdan…

E será quando ele vier conferenciar comigo, Auharmazd, ó Zoroastro Spitaman na direcção de Kinistan… nascerá um príncipe; … o seu pai, um príncipe da raça Kayan, abordará as mulheres e nascer-lhe-á um príncipe da religião; chamar-se-á Vahram, o Vargavand [Bahram Varjavand]. Para que um sinal venha à terra, na noite em que o príncipe nascer, uma estrela cairá do céu; quando esse príncipe nascer, a estrela mostrará o sinal.[2]
No Hinduísmo, a série de avatares (incarnações) de Vishnu incluem Krishna e Rama. Numa lista conhecida, o Buda é o nono avatar e será seguido pelo aguardado avatar Kalki.
Quando a religião védica e o dharma dos livros da lei tiverem caído em confusão e negação total, e a Era de Kali estiver quase extinta, então uma parte do criador de todo o universo, do guru de todo o movimento e toda a quietude, sem início meio ou fim, aquele que é o Brahma e tem forma de alma, o abençoado senhor Vasudeva (Vishnu) – ele encarnará aqui no universo na forma de Kalkin [3].
Kalki Avatar, o Prometido do Hinduísmo

Nas escrituras do Budismo Theravada, o Buda refere-se a três antigos budas; ele próprio é o quarto Buda na sequência, e existe uma profecia sobre um futuro buda, o Buda Maitreya:
Nesse período, irmãos, erguer-se-á no mundo um Enaltecido chamado Mettaya (Maitreya), Arahant, plenamente consciente, abundante de sabedoria e bondade, feliz, com conhecimento dos mundos, inultrapassável enquanto guia para os mortais que desejam ser guiados, um professor para os deuses e homens, um enaltecido, um Buda, tal como eu sou agora. Ele, por si próprio, conhecerá e verá plenamente, como se estivesse face a face, este universo, com os seus mundos de espíritos, os seus Brahmas e os seus Maras, e os seus mundos de reclusos e brahmins, de príncipes e pessoas, tal como eu agora, por mim próprio, os conheço e vejo plenamente.[4]
Uma imagem do Buda Maitreya

No Budismo Mahayana, a ênfase está nos muitos salvadores do mundo (entre eles, Manjushri, Amithaba, Avalokiteshavara); mas as escrituras Mahayanas também contêm promessas da vinda de um buda terreno, o Maitreya:
Quando, para salvação dos seres o Maitreya revelar aqui o seu nascimento, ele ultrapassará Brahma na aparência. Ele terá trinta e duas laksanas [sinais distintivos]. Nunca anteriormente se viu um ser com tal aparência. Nesse momento, ele brilhará com uma luz muito pura, tal como a luz do sol nascente. [5]
Existe no Judaísmo a expectativa da vinda do Messias. Na história judaica, vários indivíduos afirmaram ser o Messias, mas a generalidade dos judeus rejeitou essas pretensões e continua a esperar o Messias.
O povo que andava nas trevas, viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz... Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e o seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz… Do aumento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de David e no seu reino, para o firmar e o fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre; o zelo do Senhor dos Exércitos fará isto. [6]
Jesus profetizou a sua própria crucifixão aos seus discípulos mas prometeu-lhes que voltaria de novo, glorificaria os seus seguidores e venceria todos os que se lhe opusessem.
Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus.[7]
Ilustração alusiva ao regresso de Cristo

No Islão não existem profecias explícitas no Alcorão sobre o advento de um salvador, mas existem numerosas afirmações sobre o advento do Mahdi e o regresso de Cristo nas tradições atribuídas ao profeta Maomé, tal como a seguinte, extraída das tradições Sunitas:
Se apenas houver mais um dia neste mundo, Deus prolongará esse dia até que Ele levante um homem que me pertence [ou à minha família]… que encherá a terra com equidade e justiça.[8]
Na tradição xiita, o Mahdi é o décimo segundo Imam, que se ocultou no ano 874 E.C., e cuja vida foi miraculosamente prolongada por Deus até ao momento em que deve reaparecer.
Ele [o Imam Mahdi] virá com uma nova causa – tal como Maomé, no início do Islão, chamou o povo para uma nova Causa – e com um novo livro e uma nova lei religiosa, que será um terrível teste para os árabes [9].
Apesar da religião bahá’í afirmar que Bahá'u'lláh é o cumprimento das profecias de outras religiões sobre a vinda do salvador, as escrituras bahá’ís enfatizam que este processo não acabou e que outra figura santa surgirá no futuro e que agirá como intermediário de Deus.
Quanto ao significado da citação «Os meus receios não são por mim, mas por Aquele que será enviado depois de mim», esta refere-se ao Manifestante que virá após mil anos ou mais, que tal como todos os anteriores Mensageiros de Deus será sujeito a perseguições, mas que acabará por triunfar. Pois os homens de má-vontade sempre existiram e continuarão a existir neste mundo, a menos que a humanidade chegue a um estado de perfeição completa e absoluta – uma condição que não é apenas improvável, mas na verdade é impossível de alcançar[10].
As profecias sobre proezas militares do salvador são uma característica particular das religiões ocidentais. Ele conquistará aqueles que oprimiram o seu povo e lançaram injustiça na terra. No Islão Xiita, o salvador é o Oculto Imam Mahdi que regressa para derrotar os inimigos do Xiismo. No Cristianismo, existem expectativas da batalha de Armagedeon que resultará na derrota das forças do mal. Os judeus rejeitaram Jesus como Messias precisamente porque ele não cumpria estas expectativas militares e não os libertou do jugo romano.

-----------------------------------------
NOTAS
[1] – Ver quadro e Dinkard 8:14:12-14, citado por West, Pahlavi Texts, part 4, pags. 33-34
[2] – Bahman Yast, 3:1:13-15 citado por West, Pahlavi Texts, part 1, pags. 215, 220-221
[3] – Vishnu Purana 4:24:25, citado por O’Flaherty, Hindu Myths, pags. 236-237
[4] – Palavras de Buda na Cakkavatti-Sihanada Suttana, Digha Nikaya 3:75-76, citado por Rhys Davids, Dialogues of the Buddha, vol. 3 pags. 73-74
[5] – Emmerick, Book of Zambasta 22:165-166, pags. 315
[6] – Isaías 9:2, 6-7
[7] – Mateus 24:30-31
[8] – Al-Baghawi, Mishkat al-Masabih, 3:1140
[9] – Al-Nu’mani, Kitab al-Ghayba, citado pore Momen, Introduction to Shi’I Islam, pags. 169
[10] – Shoghi Effendi, Directives of the Guardian, nº112, pag. 42

3 comentários:

SAM disse...

Os Kayan significa "ser" em árabe, mas falamos duma cultura pré-árabe neste texto.
Já a raça Kayan é do Extremo Oriente.
Nós acreditamos que Shah Bahram é a referência profético do zoroastrianismo à figura de Bahá'u'lláh. Não obstante, essa parece-me a mesma profecia que levou os dois Maggiah a descobrirem Sua Santidade Cristo.

O Lago Frazdan encontra-se no Sigistan. Assim como os rios Vataeni e Helmand. Também o monte Ushihdattar e a montanha Haporsen. Sigistan parece pertencer ao Khuzistan.

E sobre o Kinistan só a referência a um certo povodebaha.blogspot.com... Nada mais!

Todas as profecias consigo entender... Ainda que superficialmente, quiçá. Até posso tentar dissecar e explicar. Mas essas do zoroastrianismo me deixam perplexo. Em que ponto elas coincidem com a vida do Husayn dos sunitas, ou da Glória dos Pais dos cristãos? Como é que o Bahram de Zoroastro é o 5º Buda?

Podes, por favor, esclarecer este ponto: como é que a supracitada profecia zoroastriana se refere a Bahá'u'lláh?

Obrigado

Marco Oliveira disse...

Sam,
Não sei!
:-)
Mas será que todas as profecias das religiões do passado se devem referir a Baha'u'llah?
Sabemos que podem ter múltiplos significados...

SAM disse...

Se se refere a Bahram, Shah Bahram, refere-se a Bahá'u'lláh. Não restam quaisquer dúvidas.

Agora se Vahram não é Bahram, isso já é outra conversa...