quarta-feira, 31 de janeiro de 2007

Carl Sagan

Adquiri recentemente a série Cosmos, numa colecção de DVD’s. E tive a sensação de recuar vinte e cinco anos no tempo. A série foi um sucesso em Portugal no início dos anos 80. Foram fins-de-semana sucessivos em que levávamos um banho de ciência.

Carl Sagan, numa linguagem simples falava-nos do universo, da formação das estrelas, dos planetas do nosso sistema solar, do desenvolvimento da vida no calendário cósmico, da evolução através da selecção natural, da história das cidades e das bibliotecas, de episódios marcantes na evolução da ciência (Eratostenes, Galileu, Kepler, Leonardo DaVinci), do ADN, dos neurónios...

"Somos as primeiras gerações a conseguir obter algumas respostas sobre o universo" dizia ele. A série também mostrou a muitos alunos e professores, em universidades e liceus que a ciência pode ser fascinante, maravilhosa, algo que se pode estudar com prazer... tão diferente das aulas a que estávamos habituados.

Ao rever a série, pergunto-me se Carl Sagan não terá dado um significativo contributo ao desenvolvimento científico da humanidade ao popularizar a ciência daquela forma. Sinto que a minha geração tem para com ele uma grande dívida de gratidão

Para os saudosos aqui fica o filme promocional da série.

3 comentários:

Daniella disse...

Sendo hoje o Dia Internacional da não violência e como vejo que é uma pessoa a favor de paz mundial sugiro-lhe participar na blogagem colectiva iniciada e organizada no Brasil por Lino Resende neste link: http://www.linoresende.com.br/blog/

Marco disse...

Obrigado, Daniella!
:-)

Lino disse...

Marco:
Também vi a série na TV, aqui no Brasil, e concordo com você que o Sagan ajudou muito na divulgação da ciência, tornando-a acessível ao leitor comum.