segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Lee Bollinger



Palavras de Lee Bollinger, presidente da Universidade de Columbia, num discurso de recepção ao presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad:
Senhor Presidente, você exibe todos os sinais de um ditador cruel e mesquinho e por isso pergunto-lhe: porque é que as mulheres, membros da fé Baha’i e tantos dos nossos colegas universitários se tornaram alvos de perseguição no seu país?
Não são palavras calorosas, mas o convidado também não é propriamente um Mahatma Gandhi ou um Nelson Mandela!

NOTA: parte deste discurso foi transmitido hoje no Telejornal da RTP.

11 comentários:

iuri disse...

esta foi a resposta deste senhor: http://www.youtube.com/watch?v=yPLpXcRYjSg

GH disse...

O homem teve o que merece.

Se o Bush fosse falar numa Universidade no Irão, não seria vaiado; provavelmente seria linchado.

Essa é a diferença entre um governo de palermas (nos EUA) e um governo de criminosos (no Irão)

Daniella disse...

Pelo menos em relação aos bahá'is ele foi bastante claro, respondeu: ...a constituição iraniana só reconhece Cristianismo, zoroastrianismo e judaísmo... para além do Islamismo, é claro!!!
E ainda ficou com a cara de espanto ao ouvir do homossexualismo no Irão: ... no Irão não existem homossexuais da forma como existem no ocidente...
Ele deve estar a falar daquele que nós chamamos de pedofilia e que é um habito bastante frequente em Islão...
Em relação ao comentário de gh posso afirmar que se o Bush ou qualquer outra pessoa tiver a autorização para falar numa universidade no Irão, seria uma conferência encenada e bastante dissimulada, só "para inglês ver".

Marco disse...

Bem vinda de volta, Daniella!

"pedofilia... é um habito bastante frequente em Islão..."

Tem a certeza disso?

Marco disse...

GH

O que aconteceu aqui de surpreendente é que o reitor não esteve com papas na língua; não houve cortesias ou delicadezas.

Mas penso que há mais uma coisa que é importante ter presente: é preferível uma troca de palavras violenta a qualquer conflito armado.

Daniella disse...

Meu querido atenção:
"o que nós chamamos de pedofilia..."
Na verdade a pedofilia abrange desde qualquer idade até atingir a maioridade, não é mesmo ?
Acho que talvez exagerei um pouco mas podemos dizer desde a puberdade, o que não deixa de ser pedofilia e infelizmente embora a maioria do povo iraniano o repudia é bastante frequente entre uma certa classe que prefiro não mencionar aqui.

João disse...

Gostava que o Mugabe viesse a Portugal e que alguém tivesse a coragem de de lhe dizer na cara o que o Lee Bollinger disse (e muito bem) àquele Sr. de barbas que para infelicidade da humanidade é o presidente do Irão.
Quanto à afirmação da Daniella é pura e simplesmente digna de um Amahdinejad e vem provar que afinal também os bahais não são infelizmente livres de preconceitos!

Daniella disse...

Oi joão
Está a falar comigo???!!!
Este de preconceitos, eu não entendi...
Os bahá'is são quem têm preconceitos ou eles são vítimas de preconceitos ou...E o que que eu tenho com os baha'is...
O que é que o meu comentário tem a ver com preconceito?
...
Me esclarece por favor...

João disse...

Daniela:
pode haver um problema de comunicação mas a mensagem que passou foi esta:
""pedofilia... é um habito bastante frequente em Islão..."
se isto não é preconceito...

Se a Daniela não é bahai retiro o que disse quanto à prova de existência de preconceitos por parte de bahais neste blogue!

SAM disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
SAM disse...

Acabei de reler o debate e achei interessante que graças às intervenções infelizes de alguém que se diz muçulmano (Ahmadinejad) cheguemos a debates nada frutíferos.

É verdade que não existem homossexuais no Irão, uma vez que a lei islâmica o proíbe e eles são, portanto, presos, executados (como nalgumas caricaturas que andam a circular na Net depois do comentário do Sr. Presidente) ou simplesmente obrigado a tran-sexualizar-se (a mudança de sexo não é proibida, a relação com o mesmo sexo é que é).

Também é verdade que o Islão aceita aquilo que nós (auto-denominados "sociedade moderna") chamaria de pedofilia. A partir da puberdade (9 anos, segundo algumas tradições) é possível que uma menina seja desposada (e pratique relações sexuais) por um crente bastante mais velho. A questão moral, no entanto, é distinta. O princípio de defesa das meninas numa sociedade extremamente machista (pior que a actual) era possível somente através do casamento.

Também é verdade que o Próprio Profeto desposou Aisha, quando ela tinha menos de dez anos (mas, atenção ao misticismo por trás dessa estória/história).

Também é verdade que o clero muçulmano tinha por hábito engajar-se em relações com menores do mesmo sexo (masculino). Existe uma vasta bibliografia sobre o tema (infelizmente em persa...). Nessa mesma vastidão, encontra-se também o repúdio de grande parte da actual sociedade persa.

Creio que quando falamos de termos como "pedofilia" devemos estar atentos ao nosso conceito socio-cultural.

(PS: este comentário contem a correcção a um lapso no comentário anterior)