segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Indonésia: o palco da próxima perseguição?

A adesão à religião bahá’í sempre foi uma coisa delicada em países de maioria muçulmana. O abandono da crença no Islão é considerado um acto de apostasia; frequentemente é visto como uma vergonha para a família do convertido, um motivo de escárnio e hostilidade, uma porta para a exclusão social. Tudo isso leva a que, nesses países os novos crentes bahá’ís adoptem uma postura discreta.

Por este motivo, uma notícia divulgada hoje pela Antara – a agência noticiosa da Indonésia, é no mínimo suspeita. Sob o título “31 pessoas abandonam o Islão para se tornarem bahaistas [sic] em Donggala” (link alternativo), a notícia refere as palavras do Directos do Gabinete de Assuntos Religiosos em Palolo segundo o qual 31 residentes locais se teriam convertido à nova religião.

O texto da agência indonésia acrescenta que na localidade a população se preocupa com aquela apostasia, tendo várias casas dos seguidores da Fé Bahá'í sido apedrejadas por pessoas que protestam contra a situação. Entretanto, teria sido organizada uma reunião entre a comunidade e os baha’is onde lhes foi pedido que voltassem à sua anterior religião, estando prevista a realização de uma nova reunião.

Um facto que nunca seria notícia num país onde exista liberdade religiosa, é apresentado pela agência noticiosa da Indonésia – o mais populoso país muçulmano do mundo – como um sinal de escândalo e alarme. Nada se esclarece sobre o que é a nova religião (quais os seus princípios? como vêem as outras religiões?); apenas diz que praticam rituais em segredo e que os baha’is não revelam quem espalhou aquela crença na região (o que sugere que andam à procura de alguém)

Será que depois das perseguições no Irão, do apartheid religioso no Egipto, vamos ter a Indonésia como próximo país a instigar oficialmente discriminar e perseguir baha’is?

-----------------
ACTUALIZAÇÃO
O debate prolonga-se aqui no Indonesia Matters.

2 comentários:

João Moutinho disse...

Temos de ser realistas. A aceitação da Fé Bahá'í há de ser considerado um acto de apostasia pelos mais próximos de quem se converte se vier de um meio de outra Religião. Não acontece apenas com os muçulmanos.
Tanto quanto sei a declaração de Fé na Grécia também não está isenta de problemas oficiais.
Quanto á Indonésia não nos esqueçamos que é um estado pluriétnico e uma atitude numa ilha pode ser substancialmente diferente numa outra ilha.

GH disse...

É verdade.
A notícia cheira a esturro!
Às tantas ainda é um convite para um pogrom, e a gente aqui não percebe isso.