quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Não devem estar a ver bem!

(foto sacada daqui)

Segundo a agência de notícias iraniana IRNA, o Ministro dos Negócios Estrangeiros (o tal que passou por Lisboa há alguns dias) veio a público esclarecer que a Constituição Iraniana garante plena liberdade a todas as minorias religiosas do país. Estas declarações surgem como resposta às preocupações vocalizadas por Kim Howells, do Ministério dos Negócios Estrangeiros Britânico.

O dirigente iraniano acrescentou ainda que as minorias religiosas no Irão gozam de liberdade religiosa, educativa, cultural, social e económica. Também desempenham um papel activo na sociedade iraniana e estando representados no Majlis (Parlamento Iraniano).

E em jeito de contra-ataque, acrescentou: "Vemos os direitos das minorias religiosas, principalmente Muçulmanos, serem profundamente violados em muitos países Ocidentais, incluindo a Inglaterra, onde sofrem restrições para realizar as suas cerimónias religiosas".

É claro que tanta mentira quase dava para cria uma nova visão da realidade. Então vamos lá a encarar a realidade sem lentes especiais.
  1. Os bahá’ís no Irão não gozam de Liberdade Religiosa; apesar de serem a maior minoria religiosa, não estão reconhecidos pela Constituição, e não lhes é permitido realizar qualquer actividade religiosa.
  2. Os bahá’ís no Irão não gozam de Liberdade Educativa; são mais do que evidentes as dificuldades que continuam a colocar aos jovens bahá’ís que pretendem ingressar nas universidades.
  3. Os bahá’ís no Irão não gozam de Liberdade Cultural; parte das propriedades baha’is com importante significado religioso têm vindo a ser destruídas no Irão.
  4. Os bahá’ís no Irão não gozam de Liberdade Social; as detenções arbitrárias e exigências de elevadas cauções, assim como a falta de protecção perante a lei penal mostram o contrário;
  5. Os bahá’ís no Irão não gozam de Liberdade Económica; a confiscação de pequenas estabelecimentos comerciais, a impossibilidade de obtenção de empréstimos ou empregos públicos mostra exactamente o contrário
Vejamos agora os direitos dos Muçulmanos no Reino Unido:
  1. Quantos Muçulmanos britânicos foram assassinados no Reino Unido por ordem das autoridades?
  2. Quantos Muçulmanos britânicos têm sido impedidos prosseguir os seus estudos em universidades britânicas apenas por preconceito religiosas das autoridades?
  3. Quantas mesquitas foram destruídas por ordem do das autoridades britânicas?
  4. Quantos Muçulmanos britânicos têm sido detidos de forma arbitrária no Reino Unido sendo-lhe posteriormente exigida uma elevada caução? E quantos são acusados do crime de espalharem a sua fé?
  5. Quantos Muçulmanos britânicos viram os seus estabelecimentos comerciais confiscados ou atacados apenas por professarem a religião islâmica? Quantos Muçulmanos britânicos viram uma candidatura rejeitada num emprego público devido à sua religião?
Pois é... Parece que o Governo Iraniano não está a ver bem as coisas.

2 comentários:

entãoéassim... disse...

Estes óculos dão-nos a percepção tridimensional das imagens. Se não surtem qualquer efeito neste senhor (e seus assistentes)a nível da leitura verdadeira da realidade, que ao menos lhe reste a consolação de que lhe ficam muito..."fashion"!!! :-)

Anónimo disse...

Falou bem Liberdade "Religiosa".
O que este ministro falou não é mentira, a Constituição Iraniana realmente garante plena liberdade a todas as minorias religiosas do país contudo estas são as minorias reconhecidas nesta mesma Constituição como sendo religiosas, o que não abarca a Religião Bahá'í.
É exactamente ali que reside o pormenor que talvez muitas pessoas, principalmente as pessoas alvas deste discurso, não constatam.
Então se é para exigir algo da República dos Mullas, este deve ser o reconhecimento da Religião Bahá’í como sendo uma Religião Divina.