sábado, 23 de agosto de 2008

Nelson Évora: um Bahá’í

O texto que se segue é a transcrição de um artigo João Bernard Garcia, publicado ontem no jornal 24 Horas, a propósito do relacionamento de Nelson Évora com a Fé Baha’i.
-------------------------------------------------------------


As centenas de membros portugueses da comunidade Baha’í rejubilaram ontem de alegria com a conquista olímpica de Nélson Évora, um dos seus irmãos nesta fé.

David Ganço, amigo do campeão de triplo salto, e filho do treinador João Ganço, garante que o ouro foi “a prova de que Nélson é um bom ser humano, um bom atleta” e “esta foi a melhor forma de adoração a Deus”.

A atitude de querer melhorar tudo o que fazem é uma das imagens de marca dos cerca de 5 milhões de fiéis que em todo o mundo seguem os princípios de fé defendidos pelos profetas Bahá’u’lláh e Abdu’l-Bahá.



Nélson, tal como todos os outros crentes Baha’í, acredita que “a Terra é um só país e a humanidade os seus cidadãos”; e que o Universo se rege pela “unidade”, “harmonia” e “espiritualidade”. Partindo destes princípios, os seus seguidores vêem nos Jogos Olímpicos o expoente máximo das suas convicções, como explica Carlos Jalali, um dos membros do Conselho da Comunidade em Portugal.

“Os Jogos são a imagem quase perfeita da unidade na diversidade que a nossa crença defende. Daí que tenha sido uma grande alegria ver o Nélson vencer o ouro olímpico. Eu sabia que ele estava fortemente motivado”, remata.

Mário Mota Marques, outro dos membros do Conselho Nacional da Comunidade Baha’í, reconhece que o nosso campeão é “uma pessoa tranquila, com muita espiritualidade, modéstia e força mental, que sabe dar o exemplo de correcção”.

Dos treinos na rua até ao ouro olímpico

Isso mesmo confirma David Ganço, amigo desde os quatro anos e vizinho de Nélson Évora em Odivelas, e seu irmão na fé Baha’í. “Ele é um excelente atleta que começou a ser treinado comigo pelo meu pai aqui nas ruas de Odivelas e que aos poucos foi evoluindo até chegar ao ouro olímpico”, conta.

Nélson passou os dias, e por vezes noites, em casa da vizinha família Ganço. Com eles frequentou aulas e reuniões Baha’í para crianças, com eles praticou desporto, brincou e se divertiu. “Somos como irmãos. Fazíamos tudo como se fôssemos uma família unida”, conta o amigo David, que ontem só conseguiu dar “meia dúzia de gritos de alegria” no telemóvel do pai, que está na China.

-------------------

O que significa ser um Baha’í?

Os seguidores da fé Baha’í acreditam na “eliminação de todas as formas de preconceito”, na “igualdade entre homens e mulheres”, na “harmonia entre ciência e religião”, na “paz mundial suportada por um governo mundial”, nas “soluções espirituais para os problemas económicos” e na “educação universal”.

Estas convicções pretendem criar unidade entre todos os povos e defendem a globalização com tanta convicção que chegam mesmo a afirmar que o “mundo é um país e a humanidade os seus cidadãos”.

Nélson é um fiel seguidor Baha’í. Mas também se distingue em desfiles de moda –é agenciado pela Glam – e pela participação em acções de solidariedade social. Ainda recentemente, leilou algumas fotos pessoais para fins de caridade. Foram vendidas por 300 euros e quem as comprou foi... a namorada.

-------------------
“A alma permanece para além da morte”

O estado de saúde do pai de Nélson Évora não terá abalado o estado de espírito do filho durante toda a sua estada em Pequim. Segundo Mário Mota Marques, membro do conselho nacional da comunidade Baha’í, da qual Nélson Évora faz parte, os crentes nesta fé vivem “num estado de grande serenidade” pois acreditam que “o corpo é apenas uma embalagem e que a alma permanece para além da morte”, conforme explicou em declarações ao 24horas. “Creio que a fé nisso terá ajudado Nélson quando pensou que o pior podia acontecer ao pai”, resume Mário Mota Marques, que também é amigo pessoal do medalha de ouro destes Jogos Olímpicos de Pequim.

Nélson Évora é um dos mais conhecidos membros desta comunidade e tem dado a cara publicamente pela fé Baha’í. (...)

5 comentários:

Elforadiante disse...

Olá pessoal e gente boa, bons dias a todos.
Parece que o Nélson conseguiu uma façanha tpo dois em um. Não só ganhou a medalha de ouro e cantou o "A Portuguesa" como lançou a Fé Bahá'í para a ribalta.
ahahaha Como terá reagido o governo de Teerão quando souberam disto? Quando o Irão eliminou os Estados Unidos no futebol foi feriado nacional e, agora? Será que vão prender mais alguns bahá'ís só para comemorarem?
Deixem lá o meu desabafo, deve ser da hora.

Carlos Moreira disse...

Parabéns, Nelson Évora. Parabéns, Portugal. Que maravilha que Portugal tenha acolhido com carinho este nobre ser humano.

Sophiamar disse...

Reforço os meus parabéns ao Nelson Évora, a vitória do trabalho, da humildade, da perseverança.

Bem hajas, manino de ouro!

Beijinhos

entãoéassim... disse...

Permitam-me uma correcção no texto publicado: apenas Bahá'u'lláh foi profeta, não 'Abdu'l-Bahá.
Quanto a Nelson Évora, as suas qualidades enquanto atleta são inquestionáveis. O seu percurso e evolução têm sido fantásticos! Os merecidos brilhantes resultados são a prova do esforço, dedicação e perseverança.
Quanto à sua postura e atitude, o seu belo sorriso, seguro e confiante, mas discrição e humildade fazem-no maior enquanto ser humano.

filha do administrador disse...

eu só soube hoje :) mas claro, a primeira palavra foi ... marco :)