sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Jorge Sampaio entre Estrasburgo e Teerão

Ontem, a edição online do Diário de Notícias noticiou ontem que Jorge Sampaio abordou diversos aspectos relacionados com a integração das minorias muçulmanas nas sociedades europeias numa sessão solene do Parlamento Europeu dedicada ao Diálogo Intercultural.

Este poderia ser um facto poderia ter passado despercebido, não tivesse o ex-Presidente da República participado recentemente numa outra conferência em Teerão dedicada ao tema “A Religião no Mundo Moderno”. Esta conferência mereceu a atenção dos media ocidentais, pelo facto de ter tido a presença de diversos convidados estrangeiros: Kofi Annan, Romano Prodi, Mary Robinson entre outros.

Das intervenções dos palestrantes ocidentais nessa conferência de Teerão, sabe-se que houve apenas um que condenou abertamente o Regime de Teerão pelas suas práticas discriminatórias relativamente às minorias religiosas. Presume-se que Jorge Sampaio não terá abordado esse tema; uma nota à imprensa no site oficial de Jorge Sampaio é omissa sobre esse assunto, permitindo-nos deduzir que o ex-Presidente da República terá ignorado o assunto.

Assim parece-me legítimo levantar algumas questões.

Este Jorge Sampaio que protesta em Estrasburgo contra a discriminação dos Muçulmanos é o mesmo que em Teerão ignorou que os Bahá’ís - a maior minoria religiosa do Irão - não têm qualquer protecção legal naquele país?

Este Jorge Sampaio que em Estrasburgo considera incorrecto que os muçulmanos sejam vistos como “fanáticos e intolerantes” é o mesmo que em Teerão preferiu ignorar que o Parlamento daquele país se prepara para aprovar a Lei da Apostasia, (uma lei que prevê a pena de morte para quem abandone o Islão)?

Este Jorge Sampaio que defende em Estrasburgo o ensino de competências inter-culturais, é o mesmo que na conferência de Teerão se esqueceu que os Zoroastrianos daquele país são considerados «infiéis» pelas autoridades apesar de gozarem de protecção constitucional?

Este Jorge Sampaio que em Estrasburgo condena “a discriminação e a marginalização socioeconómica” dos muçulmanos na Europa é o mesmo que não ousou condenar a discriminação que o Irão faz contra os estudantes Baha’is impedindo-os de entrar nas Universidades?

Este Jorge Sampaio que em Estrasburgo proclama a necessidade de políticas de integração para os muçulmanos na Europa é o mesmo que em Teerão preferiu não condenar abertamente as práticas de Direitos Humanos do Regime Iraniano?

Este Jorge Sampaio que em Estrasburgo clamou por uma acção europeia, iniciativas nacionais e locais, em Teerão terá tido o bom senso de o fazer uma exigência minimamente semelhante ao Regime de Iraniano?

----------------------------------------------------------------
ACTUALIZAÇÃO: Este texto foi publicado no Diário de Notícias no dia 26 de Outubro, nas Cartas ao Director.

1 comentário:

GH disse...

Albarda-se o discurso à vontade da audiência?