sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Relatório Iraniano confirma inocência dos jovens de Bahá'ís

Um Inspector iraniano que investigou as detenções de um grupo de jovens bahá'ís em 2006, na cidade de Shiraz, elaborou um relatório confidencial em Junho de 2008 confirmando aquilo que a Comunidade Internacional Bahá'í sempre afirmou: as actividades deste grupo eram exclusivamente humanitárias e não incluíam qualquer ensino «ilegal» da Fé Bahá’í.

Este relatório, assinado por um «inspector e conselheiro legal» chamado Rustami, foi publicado pela organização Human Rights Activists of Iran no passado dia 23 de Outubro. O relatório é dirigido ao «estimado representante do líder supremo na província» (de Fars) e declara ter sido elaborado a seu pedido.


Recorde-se que três dos 54 jovens Bahá’ís detidos foram condenados a quatro anos de prisão e ainda se encontram presos numa cadeia de Shiraz. A Amnistia Internacional sugeriu que estes três jovens (Haleh Rouhi, Raha Sabet, and Sasan Taqva) eram prisioneiros de consciência e que se encontravam detidos devido às suas convicções religiosas.

O relatório declara que todas as pessoas entrevistadas durante a investigação afirmaram que não houve qualquer menção da Fé Bahá’í durante as aulas ministradas por estes jovens, facto que contradiz a acusação do Governo Iraniano. Algumas das pessoas entrevistadas acrescentaram ainda que queriam que as aulas continuassem.

O relatório cita um oficial da polícia reformado: «As actividades destas aulas eram escrita, desenho, ensino de higiene e valores morais, não havendo qualquer menção de assuntos religioso ou políticos. Nunca houve qualquer referência ou declaração relativamente ao Bahaismo»

Já passaram quatro meses desde a apresentação deste relatório ao «representante do líder supremo» e os três jovens continuam detidos. Não há qualquer indicação de que venham a ser libertados num futuro próximo. Na verdade, nos últimos meses os actos de hostilidade contra os bahá’ís do irão têm aumentado. Mas felizmente, também têm aumentado as vozes no Irão que protestam contra estes ataques e clamam por justiça. A este propósito, lembro-me das palavras de Gandhi:

«Quando eu desespero, lembro-me que ao longo da história os caminhos da verdade e do amor sempre triunfaram. Tem havido tiranos e assassinos, e durante algum tempo eles parecem invencíveis, mas no fim eles caem sempre. Pensem nisso. Sempre.»

------------------------------------------------------------
Sobre este assunto:
Document Vindicating Baha’i Youth Prisoners in Shiraz (Iran Press Watch)
Iranian report confirms innocence of Shiraz Baha'is (BWNS)

2 comentários:

entãoéassim... disse...

...e esse fim que não chega!...

GH disse...

Como disse noutro comentário, a Republica Islamica do Irao não é um Estado de Direito; é uma corja de malfeitores!