quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Universidade Turca escolhe um Bahá'í para Decano

Esta notícia estava hoje na edição online do jornal turco Hurriyet Daily News. O texto é de autoria de İzgi Güngör. É verdadeiramente surpreendente que isto aconteça na Turquia. Compare-se agora o caso desta Universidade Turca com as Universidade Iranianas onde os jovens baha’is são expulsos de forma sistemática... É óbvio que nem todos os países de maioria muçulmana são iguais.
------------------------------------------------------


ANKARA - Um dirigente Baha'i na Turquia foi nomeado Decano da Faculdade de Ciências e Letras da Middle East Technical University (METU).

O Professor Cüneyt Can, director do Gabinete de Assuntos Externos da Comunidade Baha’i na Turquia, tornou-se o primeiro Decano Baha’i na Turquia após servir durante nove anos como Decano Delegado.

“Sou um estudante da METU e há anos que ocupo lugares administrativos. Não esperava qualquer discriminação devido à minha fé e a minha nomeação não me surpreendeu”, afirmou [o professor] Can ao Hurriyet Daily News. Os Baha’is são aderentes de um movimento religioso que teve origem no Irão no século 19 e enfatizam a unidade espiritual da humanidade.

A nomeação ocorre numa altura em que o Governo tem levantado a voz do nacionalismo e os discursos oficiais parecem ignorar a existência de minorias no país.

Os Baha’is, porém, nem sequer são considerados uma minoria pois a sua entidade não é reconhecida pelo Governo Turco, apesar de existirem cerca de 100.000 membros Baha’is na Turquia.

Uma oportunidade para os Baha’is

Os Baha’is não podem declarar a sua identidade religiosa nos seus cartões de identidade porque está não está incluída nas opções.

“É um desenvolvimento importante para a comunidade Baha’i aqui e também para a Turquia, o facto de eu ter tido esta oportunidade enquanto Baha’i” afirmou acrescentando que não enfrentou dificuldades no seu trabalho devido à sua fé.

O número de académicos Baha’is na Turquia é muito reduzido, enquanto que outras áreas profissionais incluem números proporcionais de membros Baha’is. O processo de nomeação foi bastante democrático, afirma [o professor] Can.

“Toda a gente sabe que eu sou Baha’i. Fui eleito apesar disso. Tenho uma identidade de académico, de cientista e de director no interior da METU; mas sou um representante da comunidade Baha’i fora da METU. Tenho muito cuidado para não misturar as duas coisas e actuo de forma rigorosa no meu emprego”, notou.

Fundada no Irão no século 19 por Baha’u’llah, a fé Baha’i é considerada como o grupo religioso com crescimento mais rápido no mundo. A religião tem cerca de seis milhões de seguidores em todo o mundo e procura a unidade e a paz mundial como soluções par aos problemas da era moderna.

1 comentário:

GH disse...

Vamos lá a ver se esta publicidade não lhe é prejudicial...