quarta-feira, 6 de abril de 2005

Muitas Religiões, um único Deus

Será que adoramos todos o mesmo Deus?

"Existem várias abordagens para responder a esta pergunta. A primeira é simples. Os cristãos aceitam os profetas judeus como tendo recebido revelações de Deus; desta forma é óbvio que os cristãos acreditam no Deus dos judeus. Os muçulmanos acreditam nos profetas judeus e em Jesus como tendo recebido revelações de Deus; desta forma é óbvio que os muçulmanos acreditam no Deus judaico-cristão. Os bahá'ís aceitam a realidade nos profetas judeus, em Jesus e em Maomé; por isso é óbvio que acreditam no deus judaico-cristão-islâmico.

(...)

Mas sejamos honestos com nós próprios. Algum de nós acredita realmente ter uma compreensão completamente adequada da realidade de Deus? Não falo apenas sobre ter consciência da existência de Deus ou um conhecimento sólido das escrituras, ou mesmo uma forte percepção de estar na presença de Deus. Em vez disso, refiro-me a uma compreensão clara e total do que Deus é, e de que aspecto Ele tem. Pode a mente humana compreender Deus na sua totalidade? Se sim, então a mente humana deve ser maior, ou pelo menos igual, a Deus. Nenhuma destas religiões ensina isto; na verdade ensinam exactamente o contrário. Se Deus tem toda a criação sobre a palma da Sua mão (falando metaforicamente), então que parte da sua criação é capaz de compreender verdadeiramente a Sua natureza, ou mesmo a plena medida de qualquer uma das Suas qualidades?"


Os dois parágrafos anteriores foram traduzidos (um pouco à pressa) do artigo Many Faiths, One God, que está no Planet Baha'i. Vale a pena ler.

3 comentários:

Lutz disse...

Isto seria um belo post para a Terra da Alegria. Infelizente não terei tempo esta semana e provavelmente também não na próxima...
Porque concordo plenamente. Nos meus termos:
Faz sentido para um crente monoteista falar dum Deus em comparação a outro?
Se como Cristão falasse do Deus dos Bahá'i, refiro-me inevitavelmente não a Deus, mas ao conceito que os Bahá'i dele têm. De Deus como entidade só posso falar referindo-me a este em que eu acredito.
Concluo que as divergências entre crentes de religiôes monoteistas diferentes não podem ser estabelecidos em relação a Sua identidade, mas só em relação aos seus atributos e ensinamentos.

Marco disse...

Lutz,
Uma escola tem vários professores e todos têm o mesmo objectivo: transmitir conhecimentos aos alunos de modo a que estes possam evoluir. Os conhecimentos que os professores transmitem não são contraditórios, mas sim complementares.

De igual modo, Deus também nos tem enviado diferentes Profetas com ensinamentos que nos permitem evoluir espiritualmente. Os Seus ensinamentos não são contraditórios mas sim complementares.

Elfo disse...

"Confundidos sejam os que querem arranjar companheiros a Alá, O Único, O Verdadeiro, O Generoso"

Penso que são palavras de Maomé, mas poderiam ser de Abraão, de Moisés, de Zoroastro, de Buda, de Cristo, de Sua Santidade O Báb ou de Bahá'u'lláh que a minha alma lhe seja oferecida em holocausto.
Apena o Nome muda consoante a língua em que se pronuncia.
Assim será God, Deus , Dios, Diu, Yavé ou Jeová, Alá ou Bahá. É uma única Identidade, É Um Único Deus Verdadeiro.