quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Os Programas Eleitorais e as Confissões Religiosas

Com o aproximar das eleições legislativas vários agentes sociais têm questionado as forças políticas sobre o que se propõem fazer nas múltiplas áreas da governação do nosso país. Como cidadão português e membro de uma minoria religiosa, tentei saber quais as intenções dos partidos e coligações em relação à Lei da Liberdade Religiosa (que ainda não se encontra totalmente regulamentada) e que princípios defendem no que toca ao relacionamento entre o Estado e as Confissões Religiosas do nosso país.

Consultei os programas eleitorais dos partidos em busca de respostas e o resultado é o que se encontra nos quadros seguintes.

Nº de vezes que as palavras Religião ou Confissão Religiosa surge nos programas eleitorais:

PS
1
PSD
0
BE
0
CDU
0
CDS
1


NOTA: o programa do PS refere o estabelecimento de parcerias com as confissões religiosas no âmbito de uma política de preservação do Património Histórico e Cultural(p. 59). O programa do CDS refere a "…atávica suspeita das parcerias com o sector social, nomeadamente com as instituições de inspiração ou matriz religiosa"(p.207) e ainda importância do "turismo religioso" (p.215,218)

Nº de vezes que as palavras Laicidade ou Laico surge nos programas eleitorais:


PS
0
PSD
0
BE
1
CDU
0
CDS
0


NOTA: O programa do Bloco de Esquerda refere a propósito da morte assistida: "Nenhum Estado laico e democrático deve poder determinar ou impor as condições em que cada um morre. Nenhuma teologia pode determinar o valor da nossa vida e do nosso sofrimento."(p.33)

Nº de vezes que as palavras Liberdade Religiosa ou Concordata surge nos programas eleitorais:


PS
0
PSD
0
BE
0
CDU
0
CDS
0


COMENTÁRIO: Será que as Confissões Religiosas, a Laicidade, a Lei da Liberdade Religiosa são temas irrelevantes para as forças políticas? Será que os partidos políticos nada têm a dizer ou a propor nessa matéria? Ou isto serão temas demasiado delicados, cuja referência é preferível omitir nos programas eleitorais?

* * * * * * * * *

ACTUALIZAÇÃO
No site da Associação República e Laicidade encontra-se um post intitulado "Sobre a campanha eleitoral para as Legislativas" onde podemos encontrar algumas respostas do BE e do MRPP a estas questões.

4 comentários:

iuri disse...

A politica ja é divisiva por si propria, mistura-la com religião torna-a pior ainda. Temos sorte que em portugal não há essa mistura como acontece com a direita americana.

Ricardo Alves disse...

Excelentes perguntas, Marco. Estamos em sintonia. ;)

(Mas acho que te escapou um parágrafo na página 15 do programa do PSD.)

Marco disse...

Iuri,
Mas as forças políticas devem certamente uma posição sobre o que deve ser o relacionamento do Estado com as confissões religiosas. Expressar essa opinião num programa eleitoral, não é misturar religião com política.

Ricardo,
Tens razão. Escapou-me a página 15 sobre "o papel e a importância da assistência espiritual que é procurada e prestada, por exemplo, em hospitais, prisões e lares" no programa do PSD.

iuri disse...

Marco,

De acordo