quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Jesus Cristo: Frente a Frente com Deus

Por Maya Bohnhoff

Cristo está sempre no mundo da existência. Nunca desapareceu dali... Tende a certeza que Cristo está presente. A beleza espiritual que hoje nos rodeia é proveniente das fragrâncias de Cristo. (Mensagem de 'Abdu'l-Bahá escrita para The Christian Commonwealth, 29 de Setembro de 1911, 'Abdu'l-Bahá in London, p. 40.)
No texto anterior explorámos o testemunho de Moisés, do apóstolo Pedro e do próprio Jesus Cristo, que Cristo era um "profeta como Moisés" predito no livro do Deuteronómio (18:15 - "O Senhor Deus suscitar-vos-á um Profeta como eu, de entre os vossos irmãos. Escutá-lo-eis em tudo quanto vos disser... ").

O testemunho de Cristo encontra-se em João 5:45-47:
Não penseis que Eu vos vou acusar diante do Pai; há quem vos acuse: é Moisés, em quem continuais a pôr a vossa esperança. De facto, se acreditásseis em Moisés, talvez acreditásseis em mim, porque ele escreveu a meu respeito.
No livro dos Actos 3:19-26, o principal apóstolo de Cristo, Pedro, confirma a ligação entre Moisés e Jesus Cristo, dizendo que o Profeta que Deus suscitou não era outro senão "o Seu servo", Jesus.

Não posso exagerar a importância disto. Jesus está a fazer o que, para um judeu, teria sido uma tremenda declaração - que, ao invés de receber inspiração em visões e sonhos como os profetas menores fizeram, Ele, tal como Moisés, viu a "imagem" do Pai . A Torá diz claramente que distingue Moisés de profetas como Ezequiel ou Isaías. Moisés não recebeu meras visões ou indicações de Deus. Ele viu Deus, frente a frente:
Escutai bem as minhas palavras. Se existisse entre vós um profeta, Eu, o Senhor, manifestar-me-ia a ele numa visão. Eu me daria a conhecer em sonhos, falaria com ele. Não é assim com o meu servo Moisés! Eu estabeleci-o sobre toda a minha casa! Falo com ele frente a frente, à vista e não por enigmas; ele contempla a imagem do Senhor! (Números 12:6-8)
Jesus Cristo afirma explicitamente esta mesma distinção. Ele diz, em João 6:46, "Não é que alguém tenha visto o Pai, a não ser aquele que tem a sua origem em Deus: esse é que viu o Pai." Nesta simples frase, Jesus Cristo estabelece a Sua própria autoridade, afirmando que Ele, tal como Moisés, viu o Pai.

Diga-se, a propósito que o nome "Moisés" é egípcio e significa "filho", enquanto Jesus é mencionado como o Filho de Deus. A alegação de filiação tinha um significado cultural profundo para os judeus, pois um filho mais velho tinha a autoridade para aceita contratos em nome do seu pai. Trata-se de uma declaração de autoridade única.

Fui educada com a doutrina típica da Igreja Cristã de que Jesus Cristo foi único em toda a criação e que a veracidade dos Seus ensinamentos dependia desta característica única - uma singularidade provada pela ressurreição física do Seu corpo. No entanto, as palavras da Bíblia, que eu tinha sido educada a reverenciar, desafiaram essa crença, e levaram-me a ajustar o meu entendimento de Moisés e Jesus.

Mas Cristo não só afirma um parentesco com Moisés e os Profetas que Pedro diz que Deus tem enviado "desde o princípio"; ele próprio anuncia que haverá futuras revelações do Deus de toda a humanidade.

Isso é o que eu gostaria de explorar no próximo texto, em resposta à minha pergunta infância: Porque é que Deus só falou uma única vez?

--------------------------------------
Texto Original: Jesus Christ: Face to Face with God (BahaiTeachings.org)
Texto Anterior: Jesus Cristo: Um Profeta como Moisés
NOTA: Todas as citações biblicas são retiradas da tradução dos Capuchinhos.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Maya Bohnhoff é Baha'i e autora de sucesso do New York Times nas áreas de ficção científica, fantasia e história alternativa. É também compositora/cantora (juntamente com seu marido Jeff). É um dos membros fundadores do Book View Café, onde escreve um blog bi-mensal, e ela tem um blog semanal na www.commongroundgroup.net.

4 comentários:

Anónimo disse...

es verdad para mi Jesus no es DIOS ni su hijo porque hay contradicciones con la biblia y su genealogia si es hijo de DIOS porque tiene 2 contradicciones en su genetica? y al morir dijo padre pérdonalos no saben lo que hacen ? que rraro si el era DIOS? y si era el hijo de DIOS porque hay contradicciones de que era decendiente de David por fin era de Jose o de DIOS?

Marco disse...

Espero que usted puede leer mi comentario en portugués. :-)

Os Evangelhos não são um relato histórico fidedigno de acontecimentos relacionados com a vida de Jesus; em vez disso, devem ser encarados como um testemunho de uma vivência de fé registado por pessoas com mentalidade e cultura totalmente diferente das nossas. Mostram-nos o mundo de Cristo pelas palavras dos primeiros crentes.
Por esse motivo, as interpretações literais levam frequentemente a contradições e a descrições contrárias à razão. É importante perceber os significados simbólicos e espirituais que a Biblia nos apresenta.
Já escrevi sobre esse assunto aqui:
-- Simbolismo e Historicidade das Escrituras
-- Para que serve o simbolismo nas Escrituras?

Paulo Jorge Ramos disse...

Olá,

tenho um blog sobre a historicidade de Jesus:

http://quem-escreveu-torto.blogspot.pt

Obrigado

Marco disse...

Obrigado Paulo Ramos.
Vou visitar.