domingo, 19 de dezembro de 2004

Epístola aos Reis (4): Sacerdotes, Sábios e Filósofos

Este é o quarto, e último, post sobre temas e destinatários da Epístola aos Reis revelada por Bahá'u'lláh em Adrianópolis. Entre parêntesis rectos indica-se o nº do parágrafo citado.
-----------------------


SACERDOTES SUNITAS DE CONSTANTINOPLA [108-112]


Bahá'u'lláh denuncia a negligência espiritual, o orgulho pela posição social e a vaidade do clero sunita de Constantinopla em termos inequívocos: "Parece-Me que vos apegastes às coisas exteriores e vos esquecestes das interiores, e dizeis o que não praticais. Sois amantes de nomes e pareceis vos haverdes entregues a estes."[110]. Depois de lamentar o facto dos sacerdotes não terem procurado informar-se sobre os Seus ensinamentos, anuncia-lhes o aparecimento de uma nova Revelação Divina. Revela-lhes o significado da Sua missão e adverte-os que Deus não verá nada de aceitável nas suas condutas a menos que nasçam de novo.

Sábios e Sacerdotes de Constantinopla encontram-se
entre os destinatários da Epístola aos Reis

SÁBIOS DE CONSTANTINOPLA E FILÓSOFOS DO MUNDO [113-116]

Aos sábios de Constantinopla e Filósofos do Mundo, Bahá'u'lláh começa por lançar uma advertência clara - "Acautelai-vos para que a erudição e a sabedoria humana não vos torne orgulhosos diante de Deus"[113] – e revela-lhes o que Ele considera a essência da verdadeira sabedoria. Prossegue recordando que há sábios que acreditam em Deus e outros que não acreditam; acrescenta que Deus não avalia os seres humanos pela sua sabedoria mas sim pela sua conduta, e questiona: "Por acaso sois maiores em sabedoria que Alguém que vos trouxe à existência, que moldou os céus e tudo o que ele contêm, a terra e tudo o que nela reside?"[114]
Depois de salientar que Deus "concede sabedoria a quem quer que escolha entre os homens, e dela priva a quem quer que deseje" [114], Bahá'u'lláh repreende os sábios por não terem procurado esclarecimento da parte d'Ele e aconselha-os a não ultrapassarem os limites impostos por Deus e a não seguirem os caminhos e hábitos dos homens

AOS HABITANTES DE CONSTANTINOPLA [37-55]

Aos habitantes da capital otomana, Bahá'u'lláh declara que nada teme excepto Deus, que não fala salvo por ordem de Deus, que considera os governadores e anciãos da cidade como crianças que brincam com o barro e que não vê pessoa alguma com maturidade suficiente para compreender as verdade que Deus lhe transmitiu.

Constantinopla: a população da cidade é advertida a seguir a Lei de DeusUm dos conselhos dado por Bahá'u'lláh aos "habitantes da Cidade"[37] consiste em respeitar "os sacerdotes e sábios entre vós, aqueles cuja conduta esteja em harmonia com o que professam... Sabei vós que eles são lâmpadas guias para os habitantes dos céus e da terra."[45] A este mesmo povo, Bahá'u'lláh ordena que siga fielmente os preceitos de Deus que não se orgulhe perante Ele ou Seus amados.

Em vários parágrafos, Bahá'u'lláh recorda em termos místicos as tribulações e virtudes o Iman Husayn, assim como a sua posição espiritual aos olhos de Deus. Seguidamente profetiza que em breve Deus fará surgir um povo que recordará as suas aflições e exigirá aos Seus opressores a restituição dos Seus direitos. Por fim apela-lhes que dêem ouvidos às Suas palavras, que se arrependam e voltem para Deus

POVO DA PÉRSIA [96]

Nesta epístola existe apenas um parágrafo dirigido ao povo da Pérsia em que Bahá'u'lláh afirma que se eles O matassem, Deus faria surgir outro no Seu lugar, acrescentando que Deus aperfeiçoará a Sua Luz, apesar deles, nos seus corações a abominarem.

Sem comentários: