quinta-feira, 26 de janeiro de 2006

Kitáb-i-Iqán (12)

A Presença de Deus
Tal como se dissipa completamente o fumo, e ao contacto com o fogo, se derrete a cera, assim se dissipam os ímpios na presença do Senhor. Mas os justos alegram-se e rejubilam; diante do Senhor exultam de alegria. (Salmos, 68:3-4)

Ó Senhor! (dizem eles), não permitas que os nossos corações se desviem, agora que Tu nos guiaste, mas concede-nos a misericórdia da Tua própria Presença; pois Tu és o Doador de dádivas imensuráveis. (Alcorão 3:8)
São muitos os Livros Sagrados e tradições religiosas onde surgem referências ao "atingir a presença de Deus"; em algumas tradições, atingir a presença do Senhor é considerado como o propósito supremo da vida de um ser humano. Este assunto tem merecido a atenção de vários teólogos e místicos de diferentes religiões, tendo surgido várias interpretações desta expressão. No Kitáb-i-Iqán, Bahá'u'lláh refere-se ao alcançar da presença divina como a "maior e mais excelsa graça concedida aos homens"[148]. Mas antes de esclarecer o significado deste conceito, Bahá'u'lláh aborda as diferentes interpretações que têm sido feitas sobre o mesmo.

Para os que consideram que “atingir a presença de Deus” significa uma "Revelação Universal", isto é uma revelação que se manifesta em todas as coisas criadas, Bahá'u'lláh recorda que tal já existe. Toda a criação reflecte, de alguma forma, o seu Criador: "... se o homem contemplasse com os olhos do discernimento espiritual e divino, reconheceria prontamente que nada pode existir sem que revele o esplendor de Deus, esse Rei ideal."[149]

Quanto aos que sustentam que a "atingir a presença de Deus" se pode identificar com uma encarnação da própria essência de Deus, Bahá'u'lláh lembra que o acesso à "Mais Santa Emanação" esteve, está, e sempre estará, vedado a todo o ser humano. Por mais eruditos, iluminados e esclarecidos que os homens sejam, jamais poderão atingir um vislumbre da essência de Deus.

E existem ainda os que advogam que a interpretação da expressão "atingir a presença de Deus" está relacionada com uma revelação de Deus feita aos Seus Manifestantes, que seria alargada a toda a criação. A eles, Bahá'u'lláh esclarece que essa revelação está reservada exclusivamente aos "Profetas e Eleitos"[151].

Segundo Bahá'u'lláh, é impossível aproximarmo-nos de Deus sem nos aproximarmos dos Seus Manifestantes. Assim, atingir a presença de Deus significa atingir a presença do Seu Manifestante:
Assim, em qualquer Era, quem quer que tenha reconhecido e atingido a presença destes Luminares gloriosos, resplandecentes e sublimes, terá atingido, em verdade, a "Presença do próprio Deus" e entrado na cidade da vida imortal, da vida eterna.[151]
Note-se que não estamos a falar de um encontro físico mas sim de uma acto de reconhecimento e comunhão espiritual. Neste acto, um ser humano reconhece um Profeta como Mensageiro de Deus, aceita as Suas leis e ensinamentos, adquire uma nova percepção do mundo que o rodeia, e frequentemente transforma a seu conduta perante os seus semelhantes.

-------------------------------------------------------------------
Entre parêntesis rectos indica-se o nº do parágrafo citado do Kitáb-í-Iqan. Sobre a numeração dos parágrafos deste livro, ver Notes on paragraph numbering of the Kitab-i-Iqan.
-------------------------------------------------------------------

2 comentários:

João Moutinho disse...

Já pensaste em publicar este texto num jornal de expansão nacional?

Marco disse...

Não achas que os jornais de expansão nacional já têm problemas de sobra?
:-)