quarta-feira, 18 de outubro de 2006

A Promessa de um futuro Salvador (1ª Parte)

Aqui fica a primeira parte de um excerto do livro The Phenomenon of Religion de Moojan Momen. Este excerto faz uma análise comparativa das promessas de um futuro Salvador existentes em todas as religiões. Devido à extensão do texto dividi-o em duas parte.
-----------------------------------------


Todas as religiões mundiais diferem no que toca à sua metafísica e filosofia, origens culturais e circunstâncias de evolução ao longo do tempo. Apesar destas diferenças, existe um facto impressionante sobre o qual todas as grandes religiões possuem relatos espantosamente semelhantes: uma futura Idade de Ouro e o advento de um Salvador.

DESCRIÇÕES DO SURGIMENTO DO SALVADOR MUNDIAL

Todas as escrituras das principais religiões prometerem o surgimento de um salvador mundial. Para as religiões ocidentais, a sua vinda assinalará o fim do mundo; as religiões orientais consideram que a sua vinda assinala o fim de uma era. A tabela seguinte resume e compara alguns conceitos sobre o aparecimento de um futuro Salvador.

ReligiãoNome do Salvador Porá fim a:Dará início a:
Hinduísmo Kalki Avatar Kali Yuga (Era da Decadência)Era Krita (Era de Ouro)
Taoísmo Hou Sheng (O Sábio Futuro)MalT'ai Ping (Grande Paz)
Budismo Buda MaitreyaPeríodo de desaparecimento de todos os sinais da verdadeira religião Renascimento da religião; reaparecimento do arhats
ZoroastrismoHushidar Bahram Varjavand Saoshyant Período do reinado de Ahriman na TerraFrashkart (reabilitação do mundo)
JudaísmoMessiasPerseguição, humilhação e dispersão de Israel Restabelecimento e reconhecimento do lugar de Israel no Mundo
Cristianismo Regresso de CristoPeríodo de domínio de Satanás na TerraReino de Deus na Terra
IslãoMahdi (para os Xiitas: o Imam Oculto Mahdi) e o regresso de CristoPeríodo de injustiça Estabelecimento da justiça e domínio da lei de Deus
Fé Bahá'í Futuro Manifestante Actual Dispensação Novos ensinamentos divinos


A CONDIÇÃO DO MUNDO ANTES DO ADVENTO DO SALVADOR

As escrituras das diferentes religiões são unânimes ao descrever o estado degradado do mundo antes do surgimento do salvador. O mundo físico terá decaído e tornar-se-á instável, com numerosas catástrofes naturais. Secas e colheitas perdidas são frequentemente mencionadas, assim como terramotos, incêndios e fenómenos astronómicos tais como o escurecimento do sol. No entanto, a maior ênfase destas profecias é colocada na degradação moral e na condição espiritual da humanidade. A moralidade pública e privada terá caído a um ponto em que acontece tudo o que é considerado abominável: haverá desonestidade e roubo; ganância e cobiça dominarão as vidas das pessoas; imoralidade e perversidade sexual tornar-se-ão lugares comuns, e o governo estará nas mãos de pessoas que o usurparão. Em particular, as estruturas sociais que mantêm a estabilidade da sociedade, tais como a família e o sistema de castas (no Hinduísmo), estão previstas como ficando destabilizadas. Curiosamente, algumas das características da sociedade moderna que consideramos como melhorias, estão previstas nestas profecias como sinais de um estado de degradação da humanidade; por exemplo, a maior igualdade entre classes ou castas na sociedade e um maior papel social das mulheres.

Não surpreendentemente, numerosos grupos religiosos ao longo da história olharam para a sua própria era e questionaram-se se os problemas e perturbações que os afligiam seriam sinais da era do prometido Salvador. Tais especulações têm sido particularmente abundantes em momentos de desastres sem precedentes (como a Peste Negra na Europa) ou em datas significativas (como o fim de um milénio).

Um das principais diferenças entre as religiões ocidentais e as religiões orientais relaciona-se com os seus conceitos de tempo. Nas religiões orientais o padrão do mundo é cíclico, e portanto, tanto o estado maligno do mundo antes do aparecimento do Salvador, como a Idade de Ouro que se segue são partes inalteráveis e inerentes a este modelo cíclico. Nas religiões ocidentais, porém, a ênfase está no facto de ser o advento do Salvador que causa o fim do período de trevas e o início da Idade de Ouro.

O Desaparecimento da Verdadeira Religião

Juntamente com o declínio geral da condição do mundo, os relatos das diferentes religiões concordam que a própria religião também entrará em declínio. Os profissionais da religião (monges, sacerdotes, gurus e outros) degradar-se-ão e corromper-se-ão, e em vez de proporcionarem a verdadeira orientação, eles conduzirão o povo ao erro. As escrituras da religião – ou melhor, os verdadeiros significados das escrituras – perder-se-ão.

À luz destas profecias sobre o declínio da religião, não é surpreendente que aqueles que procuram reformar ou revitalizar a religião frequentemente adicionem um elemento ou ethos milenarista aos seus ensinamentos. Alguns destes movimentos reformistas tendem a tornar-se movimentos messiânicos. Na verdade, figuras como Jesus, Maomé e o Báb podem ser vistas como tendo seguido um rumo desses. No início dos seus ministérios surgiram como reformadores da religião estabelecida e só mais tarde, e gradualmente, é que se revelaram as plenas implicações revolucionárias dos seus ensinamentos.

7 comentários:

João disse...

Desculpa lá Marco, mas este post confundiu-me completamente!
Então para a fé bahai a salvação do mundo encontra-se num futuro manifestante e no fim desta dispensação?
Explica-me lá isso melhor!

Marco Oliveira disse...

João,
Para os baha’is a “salvação do mundo” não se baseia no aparecimento de um novo manifestante, mas sim na divulgação e aplicação dos ensinamentos o actual Manifestante (que acreditamos ser Baha’u’llah). E essa "salvação" tem acontecido com todos os Manifestantes.

O que o autor do livro fez, foi estabelecer um paralelismo entre todas as expectativas messianicas de todas as religiões. E na verdade os baha’is também acreditam que virá um novo Manifestante. Só que não o esperam como um Salvador, mas sim como mais um na sequência de Manifestantes que Deus tem enviado à humanidade.

Resumindo, existe um paralelismo quanto à vinda de um “Salvador” apesar das expectativas serem diferentes.

João disse...

Obrigado pelo esclarecimento Marco!

filha_do_admin disse...

chamem-me chata, mas prefiro quando és tu a escrever em vez de debitares muitas páginas de textos de outros ...

Marco Oliveira disse...

Filha do Admin,
Há muitos outros que escrevem melhor que eu e sobre coisas muito mais interessantes.
:-)

Carlos Moreira disse...

Muito interessante e didático!
Seu blog está cada dia melhor.

GH disse...

Os sikhs não esperam nenhum Messias?
E nas religiões tradicionais africanas também não há promessas de aparecimento de nenhum Messias?