quarta-feira, 9 de julho de 2008

Santuários Bahá'ís declarados Património da Humanidade

Santuário do Báb, no Monte CarmeloO Comité da UNESCO para o Património Mundial anunciou ontem (08/Julho), no Canadá, a classificação dos lugares sagrados Bahá’ís em Haifa e na Galileia Ocidental como Património da Humanidade. Estes lugares sagrados bahá’ís juntam-se a uma lista de lugares internacionalmente reconhecidos como a Grande Muralha da China, as Pirâmides, o Taj Mahal e Stonehenge.

A lista do Património Mundial da UNESCO inclui diversos lugares de importância religiosa global, como o Vaticano, a Cidade Velha de Jerusalém e os restos das estátuas budistas de Bamiayn no Afeganistão. Os dois santuários Bahá’ís são os primeiros locais ligados a uma tradição religiosa recente a ser adicionados à lista da UNESCO.

Estes dois santuários - um perto de cidade de Akka (também reconhecida como património da humanidade) e outro no Monte Carmelo - são os lugares onde repousam os restos mortais de Bahá'u'lláh e do Báb, os fundadores da Fé Baha’i. Os Baha’is acreditam que Bahá'u'lláh e o Báb foram mensageiros de Deus; os seus santuários são local de peregrinação para os Baha’is. O túmulo de Bahá'u'lláh é o ponto focal das orações dos Baha’is de todo o mundo, e tem uma importância comparável ao Muro das Lamentações para os Judeus ou a Kaaba para os Muçulmanos.

Recorde-se que Bahá'u'lláh foi exilado para Akka, que na época fazia parte do Império Otomano, onde veio a falecer em 1892. O Bab foi executado no Irão em 1850, tendo os seus restos mortais sido posteriormente transferidos para Haifa.

Os dois santuários são famosos pelos jardins que os rodeiam. Além de serem visitados por peregrinos baha’is, estes locais atraem centenas de milhar de visitantes e turistas todos os anos.


Reagindo a esta declaração da UNESCO, o secretário-geral da Comunidade Internacional Baha’i Albert Lincoln afirmou: “Acolhemos com agrado este reconhecimento da UNESCO, que salienta a importância dos locais sagrados de uma religião que em 150 anos evoluiu de um pequeno grupo confinado ao Médio Oriente para uma comunidade global espalhada em praticamente todos os países do mundo. Estamos particularmente gratos ao Governo de Israel por ter apresentado esta candidatura junto da UNESCO”

A lista de Património Mundial foi criada em 1972 pela UNESCO com o objectivo de identificar, proteger e preservar locais de “património cultural e natural de proeminente valor universal”. Até hoje, 184 nações assinaram a Convenção do Património Mundial que define as normas gerais para a selecção de locais. Hoje existem mais de 850 locais reconhecidos, incluindo áreas naturais como o Serengueti na África Oriental e a grande barreira de coral na Austrália.

O Comité do Património Mundial é composto por 21 países signatários da Convenção do Património Mundial, e reúne-se anualmente. A lista anunciada hoje inclui 19 lugares culturais (onde se inclui também a antiga fortaleza portuguesa de Malaca) e 8 lugares naturais.

COMENTÁRIO: O Irão é signatário da Convenção do Património Mundial. Poderá esta nomeação fazer com que as autoridade iranianas pensem duas vezes antes de voltar a destruir património Baha'i no Irão? E o Hezbollah voltará a lançar mísseis sobre Haifa? O Tehran Times ignora este facto e apenas salienta que entre os nomeados de hoje há uma igreja arménia entre os locais nomeados. E, no entanto, com esta nomeação a UNESCO reconhece que os fundadores da religião Baha’i possuem um "proeminente valor universal"...

----------------------------------
A ler:
Twenty-seven new sites inscribed (UNESCO)
Baha'i shrines chosen as World Heritage sites (BWNS)
People can sense the presence of God (BWNS)
UNESCO lists three new heritage sites from Israel to South Pacific (AFP)
World Heritage Committee inscribes 27 of 43 sites to UNESCO's list (Xinhua)
Bahai Gardens named World Heritage Site (YNetNews.Com)

8 comentários:

Família Castilhos Achutti disse...

Ya Bahá u Lláh Abhá!
Viva! Que grande benção!
Onde você foi buscar a notícia, Marco?!
Obrigada pela informação!

Marco disse...

As minhas fontes são os links indicados no final do texto.

Família Castilhos Achutti disse...

Ooops...Depois de eu ter mandado ansiosamente meu comentário...eu vi suas fontes!!! Sorry!
Abraços!

João disse...

Parabéns a todos os Bahais pela nomeação. É um reconhecimento justo e merecido!

GH disse...

Não deixa de ser interessante que os o Governo Iraniano fique orgulhoso porque houve uma Igreja Arménia que também foi declarada Património da Humanidade. É como se reconhecessem que o Irão respeita as minorias religiosas.

O silêncio deles sobre a nomeação dos lugares baha'is é apenas um sinal de hipocrisia.

entãoéassim... disse...

Estou muito feliz com este anúncio!

Marco, quanto à questão de "as autoridades pensarem duas vezes antes de..." pergunto: o Irão também não é signatário de uns quantos Tratados e Convenções (Internacional dos Direitos Civis e Políticos, por exemplo)? E...?
Desde quando é que o impediu de fazer tudo o que é internacionalmente conhecido (fora o resto que nem sonhamos)?
O "ignorar" deliberadamente esta nomeação, reconhecendo a da igreja arménia, não será um sinal claro de que nada irá mudar?

Anónimo disse...

Olá Marco,

Você poderia me responder duas perguntas?
1) Sempre que vejo o santuário de Bahá'u'lláh as portas estão fechadas as pessoas não podem entrar lá dentro?
2) Eu nunca vi uma foto dele existe alguma?

Aguardo sua resposta obrigado

Carlos guimarães

Marco disse...

Carlos Guimarães,
1) Nunca tinha reparado no pormenor da porta fechada. É possível entrar no interior do Santuário. Quando fiz a minha peregrinação estive lá dentro várias vezes.
2) Existe pelo menos uma foto de Bahá'u'lláh e diversas réplicas, nem sempre com grande qualidade. Na internet é possível encontrar algumas dessas réplicas. Os baha’is preferem não exibir essas fotos, por respeito ela pessoa de Bahá'u'lláh.
A foto original de Bahá'u'lláh é mostrada ao peregrinos baha’is na Terra Santa.
Cumprimentos.