quinta-feira, 17 de março de 2005

Dia da Mulher na ONU


"Os Estados não podem continuar a negligenciar das suas responsabilidades sob o pretexto da jurisdição interna ou relativismo cultural. Não existem fundamentos - morais, práticos ou biológicos – que justifiquem a negação dos direitos das mulheres. As consequências da inacção e discriminação continuada contra metade da população mundial são uma afronta à dignidade humana e uma negação dos próprios princípios das Nações Unidas."

"A plena igualdade entre homens e mulheres não é um fim; é um pré-requisito para os objectivos que as Nações Unidas foram criadas. [As Nações Unidas] declararam inequivocamente que os direitos das mulheres são direitos humanos e estes são fulcrais no desenvolvimento e democracia de qualquer nação"

São palavras de Bani Dugal, a representante da Comunidade Internacional Baha’i nas Nações Unidas, durante a celebração do Dia Internacional da Mulher nas Nações Unidas. Entre as presentes contavam-se Rigoberta Menchu e Wangari Maathai.

Notíca completa no BWNS e no site da ONU.

2 comentários:

Anónimo disse...

É triste que ainda seja preciso UM DIA INTERNACIONAL DA MULHER para chamar a atenção para a posição subalterna a que tem sido votada!
Tomara que chegue o dia em que estes DIAS INTERNACIONAIS de qualquer coisa, já não sejam necessários! Isso quererá dizer que a HUMANIDADE atingiu a sua fase adulta, em que já não há sexos inferiores ou classes ostracizadas!
Nesse dia, que não será provavelmente no nosso tempo de vida, certamente a HUMANIDADE TODA será muito mais feliz!

Ass: Luz Dourada

Marco disse...

100% de acordo, Luz Dourada.