quarta-feira, 20 de abril de 2005

Bento XVI



Cardeal Joseph Ratzinger, o novo Papa Bento XVI

Que Deus o ajude na condução dos destinos da Igreja Católica e que, à semelhança do seu antecessor, seja capaz de prosseguir com o diálogo inter-religioso.

14 comentários:

Elfo disse...

E o receba brevemente na sua santa glória.

Anónimo disse...

Amén!

Luz Dourada

Marco disse...

Meus caros,
A eleição deste Papa é, antes de mais, uma questão da Igreja Católica; se ele recentemente foi um cardeal conservador ou um teólogo progressista durante o Vaticano II, isso deve ser uma preocupação para os católicos.

Em que é que esta eleição pode afectar os Baha’is? Essencialmente na atitude dele em relação ao diálogo inter-religioso. Duvido que ele pudesse influenciar algum Estado ou Governo no sentido de prejudicar os bahá’ís, ou qualquer outra comunidade religiosa, de alguma maneira.

E mesmo sendo ele conservador, lembro que o Presidente Nixon também o era e foi à China para se entender com o Mao-Tse-Tung.

Elfo: Estou certo que nenhum de nós gostaria de ver católicos a fazer comentários depreciativos sobre a eleição de um qualquer membro da Casa Universal de Justiça. Por esse motivo, não é bonito fazer comentários depreciativos ou sarcásticos sobre a eleição de Bento XVI.

Anónimo disse...

O que é isso da "Casa Universal de Justiça"? Voçês também têm Papas?
F.

Marco disse...

F.,
Casa Universal de Justiça é o nome do organismo que dirige a Comunidade Bahá’í a nível mundial. É constituído por nove pessoas que são eleitas para um mandato de cinco anos. Na religião bahá’í não há lideres individuais, nem mandatos vitalícios. A sede da Casa Universal de Justiça fica em Haifa (Israel).

Tens mais informação sobre este assunto em:
http://info.bahai.org/article-1-3-0-6.html

Pitucha disse...

Marco
É raro encontrar alguém que aborda assuntos religiosos de forma tão digna sobretudo no que se refere a igrejas diferentes daquela a que pertencemos.
Se todos fossem como tu o diálogo interreligioso seria fácil.
Bem hajas.

Anónimo disse...

Porque aceitamos todos os manifestantes de Deus é que somos parceiros previlegiados para empreender o diálogo interreligioso!

Bjs DAD

Marco disse...

Pitucha,
A religião é algo muito pessoal, talvez mesmo íntimo. A religião (ou as convicções religiosas) é/são uma dos aspectos de identificação pessoal de qualquer ser humano. Insultar ou denegrir uma religião é insultar ou denegrir a intimidade de uma pessoa. É o tipo de insulto difícil de esquecer. Talvez por isso, Bahá’u’lláh tenha dito que "o preconceito religioso é uma chama que dificilmente se consegue apagar".
Isto pode parecer uma maneira muito digna para abordar o tema da religião, mas para mim isto é senso comum.

Elfo disse...

Para que conste:
- Não ofende o Cardeal Joseph Ratzinger, agora eleito como sucessor de S. Pedro, no teu Blogg;
- Se por qualquer motivo os amigos católicos se sentiram incomodados co o meu:" E o receba brevemente na sua santa glória. " peço desculpas antecipadas;
- João Paulo I durou apenas 23 dias;
- Não tenho que ter uma atitude de submissão a qualquer Papa, seja ele preto ou amarelo, branco ou castanho;
- Sou Bahá'í e assumo-me em todo o lado como tal.

Desculpa lá se ofendi os teus amigos mais próximos, e, a ti especialmente.

Fernanda disse...

Aguardemos calmamente para ver o que se vai passar ... Afinal não acreditamos nós que «Todos são Seus servos e todos aquiescem a Seu Mandamento»?
Um abraço

Elfo disse...

Se todos aquiescessem ao Seu mandamento já tinham abandonado as vestes cardinalícias há muito tempo, e o celibato já tinha passado à história como uma aberração que perdurou tempo demais numa comunidade que se queria aberta aos ensinamentos de Cristo.
Os ventos da História se encarregaram de dar o devido valor às pessoas que fizeram com que o mundo desse um salto de gigante (Karol) ou as re fizeram um retrocesso como activar de novo o famigerado Índex.

Elfo disse...

Se todos aquiescessem ao Seu mandamento já tinham abandonado as vestes cardinalícias há muito tempo, e o celibato já tinha passado à história como uma aberração que perdurou tempo demais numa comunidade que se queria aberta aos ensinamentos de Cristo.
Os ventos da História se encarregaram de dar o devido valor às pessoas que fizeram com que o mundo desse um salto de gigante (Karol) ou as que fizeram um retrocesso como activar de novo o famigerado Índex.

Elfo disse...

O Futuro é de DEUS, e a nós compete-nos cumprir os Seus Preceitos.

Poseidon disse...

parabéns por este blog, mais um espaço aberto para a discução...
se gostarem de história e arqueologia visitem: www.herodoto4.blogspot.com