domingo, 16 de julho de 2006

A Lingua Portuguesa

"A expansão do português no mundo surgirá naturalmente, quanto mais ciência se fizer em língua portuguesa, quanto mais cultura for criada em língua portuguesa, quanto mais arte for criada em língua portuguesa, e quando os países integrantes da CPLP se afirmarem nas relações económicas internacionais. Esses factores serão essenciais para que os falantes de outras línguas necessitem e queiram aprender a falar português".

José Manuel Matias, citado por Nuno Pacheco no editorial do Público de hoje, "CPL Quê?"

9 comentários:

iuri disse...

O português e´ uma língua demasiado complicada para poder ser uma língua internacional. Para piorar as coisas, o "bom" português e´ aquele feito com palavras caras e que não se percebe nada, digo isto como estudante universitário que como muitos outros, não tem outro remédio senão estudar livros em inglês (não que me importe) pois os livros técnicos escritos em português são intragáveis

Marco disse...

Iuri,
Tenho de te dar razão.
Ao longo do meu curso também tide de estudar sempre com livros em inglês; apenas me lembro de um livro técnico - traduzido no Brasil - cuja qualidade era aceitável (porque muitos termos técnicos estavam em inglês).

Mas a posição do José Manuel Matias é questionável. Um célebre consultor informático americano, Ed. Yourdon, afirma (como muito boa gente) que o inglês é hoje uma lingua franca de facto. Este autor ao comparar as potencialidade tecnológicas do Brasil e da Índia afirma que a Índia leva vantagem porque ali se fala inglês.

Quando o questionei sobre o assunto ele afirmou que sempre que vai ao Brasil, as suas conferências têm de ter tradução, facto que não acontece na Índia.

De alguma forma, este consultor, parece acreditar que numa aldeia global, a adesão a uma lingua auxiliar internacional é uma consicionante de um sucesso global.

Parece-me que devemos encontrar um ponto de equilibrio entre a posição do José Manuel Matias (defender e promover a nossa tecnologia, arte e cultura) e a do Ed Yourdon (rendermo-nos ao inglês como lingua franca).

iuri disse...

Quanto a isso, acho que para os países pequenos , ou com pouca influencia como e´ o caso de Portugal ou países sub desenvolvidos, a adopção do inglês como língua de trabalho e´ uma mais valia, pois remove uma barreira ao desenvolvimento (claro que isto e´ discutivel). Um exemplo disto são os países no golfo, alem dos benefícios económicos (não há impostos) a adopcao do inglês como língua de trabalho e´ um grande incentivo a investimento estrageiro.
Mas no caso de Portugal, alguém que queira abrir uma empresa cá, tem que saber a lingua, alguém que queira estudar, tem que saber a língua, isto e´ a língua acaba por ser uma barreira, e quanto mais barreiras houver mais difícil e´ haver actividade económica e regra geral menos desenvolvimento há.. (mas mais uma vez claro que isto e´ discutivel, não digo isto como verdade absoluta.)

Bilo disse...

Kindly, if I could make a suggestion, when opening your site pop-up adds come through. They could be annoying to some browsers. Such adds may influence the number of your visitors. Where you aware of their intrusion?

With warm regards....

Marco disse...

Bilo,
That happens to me in most blogs I visit.
However, I user Yahoo toolbar, that block most of the pop-ups windows.

João Moutinho disse...

Já dizia o Fernando Pessoa que "a minha Pátria é a minha língua".
Quando vejo a dimensão da língua portuguesa no mundo enrubesço de patriotismo mas a verdade é que o Iuri tem toda a razão.
Se o Inglês da actualidade é a língua franca por excelência é porque há de haver alguma razão que o justifique além de os EUA falarem inglês e exportarem a sua cultura.
O Inglês é uma língua paralela na Índia ou Filipinas e é a língua principal de Singapura. O seu crescimento na Ásia é impressionante.
Mas voltando ao que é "nosso", é com orgulho que vejo que o legado da língua portuguesa acenta em países já distantes do seu berço, mas não por menorizar quem somos.
Assim, o português é uma língua estrangeira estudada na China devido à atractividade do Brasil e também a Angola - fazendo fé nas fontes de informação.

Daniella disse...

OI, estou, eu novamente por aqui. Vocês tem razão quanto a língua inglesa mas a verdade é que o inglês está a tomar conta de Portugal duma maneira invulgar. Penso que deveríamos valorizar mais a língua portuguesa, uma língua difícil mas doce. Pois é doce, com sotaques diferentes mas eu prefiro um poema lida em português, por exemplo.
Neste post, por exemplo, uma pessoa fez um comentário em inglês, isto quer dizer que esta pessoa entendeu o conteúdo escrito em português mas mesmo assim preferiu escrever em inglês e ainda o Marco respondeu em inglês também.
Penso quando o grande Fernando Pessoa refere: “a minha pátria é língua portuguesa” seria mesmo para valorizar a língua portuguesa que eu gosto tanto.

iuri disse...

Penso que ninguem aqui defende que se destrua a lingua portuguesa, muito pelo contrario. o que e´ muito duvidoso e´ o uso ou mesmo imposicao da lingua portuguesa como lingua internacional. Alem disso sendo o ingles a lingua de facto internacional, a sua adopcao so traria (na minha opiniao) vantagens. Do que vi noutros paises penso mesmo que portugal e´ dos paises mais resistentes ao ingles, claro que falamos melhor que os espanhois, mas em muitos paises as aulas na universidade sao dadas em ingles (no tecnico, so sei de uma cadeira em que isto acontece), ou no trabalho so se fala em ingles. de facto , as pessoas ficam estupefactas quando digo que em portugal (e em muitos paises da europa) as aulas sao dadas 100% em portugues.

iuri disse...

correcao: "as pessoas ficam estupefactas quando digo que em portugal (e em muitos paises da europa) as aulas sao dadas 100% em portugues." (claro que em alguns outros paises da europa, sao dadas na lingua do respectivo pais)