quinta-feira, 28 de setembro de 2006

Ainda o artigo no Expresso

Há alguns dias atrás publiquei aqui um post a propósito de um artigo publicado no jornal Expresso. O artigo tinha por título Inconformados com a Revolução e a autora, Margarida Mota, apresentava um retrato social do Irão actual. O post que aqui publiquei foi parte de uma carta que então dirigi ao Expresso.

Hoje, a Dina chamou-me a atenção para o facto da carta ter sido publicada. Além da carta, foi publicada também a seguinte nota da jornalista Margarida Mota:
Durante a estadia no Irão, o Expresso pode, em boa verdade, constatar a discriminação a que são sujeitos os crentes Bahá’í. Curiosamente, através de uma família com nacionalidade portuguesa, por força do casamento de uma iraniana Bahá’í com um cidadão português. Apesar de não falar uma palavra de português, a filha mais velha encarava a possibilidade de vir estudar para Portugal, por lhe ser vedado o acesso às universidades iranianas.

8 comentários:

SAM disse...

Obrigado :-)

Carlos disse...

Cada vez que aqui venho tenho mais curiosidade sobre o movimento Baha'i...

GH disse...

Geralmente até passo os olhos pelo correio dos leitores, mas desta vez escapou-me.
Talvez tenham sido as fotos da "Floribela" na capa da Unica que me distrairam...
:-)

Elise disse...

Muito bem Marco! :)

João disse...

É pena que a jornalista, que pelos vistos até conhecia bahais, não tenha falado deles e dos seus problemas no Irão!

Marco Oliveira disse...

João,
O facto da jornalista ter respondido à minha carta mostra que não ignora a situação dos baha'is. Se não falou desse problema no artigo, isso foi um critério jornalístico.
Aliás, eu próprio digo que o problema dos baha'is no Irão não é o maior problema de atropelo aos direitos humanos que se verifica no mundo.

SAM disse...

no mundo talvez não, mas no Irão é um dos dois mais graves (se não o mais) pois, afinal de contas, é inconstitucional ser-se bahá'í... nada mais grave que isso!!!

João disse...

Marco, já te felicitei pela tua capacidade de relativizar os problemas dos bahais, pois normalmente há sempre uma tendência para acharmos que os problemas que nos afectam a nós ou ao nosso grupo são sempre os maiores do mundo, o que origina muitos conflitos.

No entanto, seja qual for o ponto de vista, o problema dos bahais no Irão é real e parece-me matéria muito interessante para fins de reportagem, daí que tenha pena que a jornalista não tenha achado a matéria relevante.