domingo, 19 de novembro de 2006

África do Sul

Uma mensagem do Presidente Thabo Mbeki

Não tenho por hábito publicar aqui mensagens de líderes políticos dirigidas à Comunidade Bahá'í. Mas esta é especial. Foi dirigida pelo Presidente da África do Sul, Thabo Mbeki, à Comunidade Bahá’í daquele país, por ocasião do 50º aniversário da formação da Assembleia Espiritual Nacional dos Baha’is daquele país (geralmente, a criação de uma Assembleia Nacional é um sinal de maturidade e crescimento de uma comunidade Bahá’í).

Sempre tive um carinho especial pelos Bahá’ís sul-africanos. Conheci alguns durante uma convenção internacional em 1993 que me deixaram uma excelente impressão. Durante os tempos sombrios do apartheid, quando foi imposta a segregação racial a todas as instituições religiosas do país, os brancos abdicavam dos seus lugares sempre que eram eleitos para as instituições bahá’ís. Era a forma digna de se oporem à segregação racial, sem se envolverem em batalhas políticas.

Por isso, não consigo deixar de publicar esta mensagem.

--------------------------------------------------

À Assembleia Espiritual Nacional
dos Bahá’ís da África do Sul

É com muita honra que aproveito esta oportunidade para enviar calorosas saudações à Assembleia Espiritual Nacional dos Baha’is da África do Sul neste importante dia, 11 de Novembro de 1956, em que celebrais o vosso 50º aniversário.

Aquilo que sois hoje ao completar cinquenta anos testemunha claramente a vossa firmeza e papel crucial que desempenhastes e indubitavelmente continuareis a desempenhar no progresso da causa da unidade e amizade do nosso amado país, a África do Sul.

Desde a sua formação, há meio século atrás, em 11 de Novembro de 1956, a Assembleia Espiritual doa Bahá’ís da África do Sul promoveu infatigavelmente o desenvolvimento espiritual, moral e material dos Baha’is neste país assim como na sociedade Sul Africana em geral. Neste aspecto, a vossa participação no Fórum Nacional de Lideres Religiosos tem contribuído imensamente para anunciar uma era de esperança no nosso país.

O facto do vosso aniversário coincidir com a mesma ocasião em que comemoramos eventos importantes para o nosso país, como o décimo aniversário da nossa constituição democrática que reconhece e promove a liberdade religiosa, salienta ainda mais a posição histórica que ocupais no nosso país.

Assim, em nome do Governo e Povo da África do Sul, felicitamos e fazemos votos de sucesso à Assembleia Espiritual dos Bahá’ís da África do Sul pelo seu 50º aniversário.

Que tenhais mais décadas de sucessos e realizações no futuro!

Thabo Mbeki

13 comentários:

João Moutinho disse...

É bom saber deste reconhecimento por parte das autoridades políticas.
Esperemos que a onda de violência que assola a África do Sul vá desaparecendo.

Elise disse...

Muito bem! :D

bilo disse...

Marco,

Where can I find this letter in English?

João disse...

Deve saber bem às comunidades bahai's (de onde quer que sejam)ler estas palavras. São um verdadeiro contraponto às noticias do Irão e do Egipto de que este blog frequentemente faz eco e mostram que a Africa do Sul é já uma democracia consolidada.

Mikolik disse...

Alguns bahá'ís, poucos, que gostam de fazer futurologia, confesso ser um deles, embora não seja um hábito, já têm falado em qual será o primeiro país ter a religião bahá'í como a sua religião de estado, ou alguma coisa lá perto... Sempre falámos, mais em Israel, Irão, no fundo são as opções mais fáceis, pessoalmente apostaria em alguma das ilhas do Pacifico, mas entre os palpites nunca nos lembrámos da Africa do Sul. Nem será caso para isso...

Enfim, deixando as futilidades, a verdade é que é gratificante ver cada vez mais estas declarações por parte dos chefes de Estado e de facto elas tornaram-se regulares. Se pensarmos que há 10 anos atrás este tipo de notícias era quase inexistente, percebemos que temos evoluído realmente bastante, pelo menos na consideração e respeito que as autoridades têm pelas Comunidades Bahá'ís, e que Portugal não é excepção.

GH disse...

E vez em quando é assim.
Nos comentários deste blog há algumas manifestações de ingenuidade que surpreendem qualquer pessoa com dois dedos de testa.
Então entre os baha'is há quem pensem que o Irao ou Israel podem vir a ser os primeiros paises a ter a religião baha'i como religião de estado?????
Já estou como o outro: digam lá a que horas chega o Pai Natal!

E mais outra: se aeste tipo de futurologia absurda é futilidade então porque é que a fazem? porque é que não ocupam o tempo com coisas mais uteis?

Eu que pouco sei sobre os baha'is da Africa do Sul apostava que se eles receberam um elogio do Presidente não deve ter sido por andarem a dizer patetices futurológicas.

E já agora: a a defesa da laicidade, onde fica? Ou será que a laicidade só é importante enquanto vocês forem minoria?

Mikolik disse...

Caro GH,

Gostava de saber se tu só abres a boca para afirmares frases construtivas e úteis?! Não tens nenhum vício fútil? Não creio. Enfim, não vejo nenhum mal em tentar perceber o futuro, ainda que saiba ser um esforço inglório. Na verdade o que conta é o exercício mental, não estou verdadeiramente interessado em descobrir nada, assim por assim é mais útil do que falar de futebol...

Simplesmente há quem se sinta mais atraído pelo metafísico, pelo subjectivo, pelo sensível, pelo futuro, outros pelo concreto, o material, o visível, o presente. Ainda bem que tu e eu somos diferentes, os dois juntos formaríamos uma boa equipa, porque nos complementamos, porque juntos abrangemos uma área mais vasta de interesses e de estudo. Assim deve ser a sociedade, por isso também precisamos tanto da laicidade como da religião...

Em qualquer aspecto da natureza a diversidade é causa de enriquecimento e evolução, na esfera humana, que também é parte do mundo natural, isso não é excepção. Acho que acreditas nisso. Por outro lado podes aproveitar os teus "dois dedos de testa" para aceitar a ingenuidade dos outros...

O meu comentário não é um contra-ataque, apenas uma defesa, aprecio os teus comentários, mas não sou masoquista, no mínimo sinto que merecem resposta até porque são muito estimulantes e têm valor, apenas por vezes a tua delicadeza é questionável, na minha opinião.

Grande abraço :-)

GH disse...

A tua metafísica é subjectiva e inutil?
Bem, isso é um problema teu.
Mas aquilo que eu já percebi da metafísica baha'i não me parece que tenha nada de inutil. (nem o trabalho dos baha'is me parece inglório)

SAM disse...

Bem, eu que até gosto de escatologia devo dizer que a conversa aqui me faz perder um pouco o fio...

Se as coisas não fazem sentido, para quê fazê-las? Concordo totalmente com o GH.

E sobre o laicismo, também estou do lado do GH. Se fosse para a Fé Bahá'í ser religião de estado, as ilhas Samoa Ocidental já teriam tratado de ganhar a medalha de ouro nessa corrida. Mas os bahá'ís não se preocupam com essas coisas (que eu saiba!). E como tal, as prioridades estão nos feitos e no trabalho de campo e não na implementação dum sistema global bahá'í só porque... é o nosso... Nada disso!

Ainda mais, o princípio do afastamento da política de estado (i.e., da laicidade estatal) é um dos princípios assentes (ainda que razoavelmente discutível).

Afinal, que os nossos adornos sejam "actos, e não palavras"...

Mikolik disse...

Posso concordar 100% contigo? :-)
Valeu a pena o meu comentário para te ouvir dizer essas palavras...

E claro, a metafisica não é inútil, mas talvez seja subjectiva, devido às nossas limitações, só por isso.

jpt disse...

rainbow country

Daniella disse...

Ó meu querido, Mikolik, quando foi que você nasceu, meu filho?
E foi neste planeta mesmo?
Fala a verdade: Acha mesmo que Israel, Irão, no fundo são as opções mais fáceis, e ainda diz pessoalmente apostaria em alguma das ilhas do Pacifico!
Fala, qual foi mesmo o seu propósito com este comentário?

Mikolik disse...

Epá pessoal, calma, calma!
GH, no meu último comentário não ficou claro que estava a concordar contigo. De resto parece que por aqui nã osou o único! ;-)

Estou de acordo também com o SAM, no essencial, não em tudo o que disseste. E diga-se no fundo estamos todos de acordo, apenas temos interesses diversos.
Por outro lado, não percebo porque é que ficaram alguns de vocês tão perturbados por eu partilhar os meus desejos e interesses, fará algum mal a algum fazer um exercício de futurologia? A mim também não me interessa a história da Fé, mas como bahá'í não censuro os bahá'ís que são interessados neste tema, independentemente deste ser mais importante que o outro...

Se o perigo da questão aqui é as pessoas menos informadas com os princípios bahá'ís ficarem a pensar que o que eu penso ou digo, como simples bahá'í, é o que diz a Fé oficialmente, então aí sim, reconheço que estou a errar, mas enfim... penso que a maioria sabe que um blog é um espaço de partilha de opiniões pessoais, é essa a força e beleza dos blogs. Há quem não perceba isso? Pois há, como em tudo, são as tais excepções. De resto eu falo sempre na primeira pessoa, nunca em nome da Fé Bahá'í como seu representante.

Daniella, o meu propósito é estimular o debate, promover os comentários, ora isso tem que ser feito com ideias questionáveis, não com verdades absolutas, certo? É uma ajuda que dou ao Marco, como amigo.