terça-feira, 26 de dezembro de 2006

A Fé dos Homens

O espaço bahá'í no programa "A Fé dos Homens" emitido ontem na 2:.
Mostra a opinião de uma crente bahá'í sobre o Natal.

10 comentários:

GH disse...

Se era para dar uma palavra de simpatia aos cristãos, podiam ter feito melhor...

F. Cirilo disse...

Independentemente do conteúdo, não me parece correcto que o dinheiro dos contribuintes portugueses seja canalizado para as estações públicas de TV e usado para propagação de mensagens religiosas.

Pelo menos eu, não gostava que fosse esse o destino do dinheiro dos meus impostos. Portugal tem outras necessidades bem mais urgentes.

Marco disse...

Cirilo,
O Estado não colabora e financia outros agentes sociais, como partidos, sindicatos, empresas, clubes desportivos? Então porque é que as entidades religiosas devem ser ignoradas pelo Estado? Não será isso uma atitude anti-religiosa primária?

Porque no fundo também existem muitas organizações de quem eu não gosto (ou desconfio). E com base nisso posso sempre defender que o Estado não deve financiar esse tipo de organizações. Será que é isso mesmo que queremos? Um Estado que ignora a realidade social?


GH,
O Natal não é um assunto sobre o qual existe uma doutrina baha’i. Por esse motivo, cada crente terá uma opinião particular. E essas opiniões não são todas iguais. Imagina, por exemplo o que diria um baha’i de origem islâmica ou hindu sobre o Natal...

Mikolik disse...

F.Cirilo,

Não é só tu que pagas impostos, os bahá’ís também pagam. E acho que os impostos que eu pago, mais os do Marco e mais uns quantos bahá'ís deve dar para pagar a, como dizes: - "propagação de mensagens religiosas" - referente à nossa religião. Talvez pagues impostos mais para financiar os prémios dos concursos tipo: Quem Quer Ser Milionário e Um Contra Todos, o que é bom, pois estamos a falar programas verdadeiramente úteis e positivos para o bem comum. Sim, porque para publicitar organizações de cariz social e espiritual isso é dinheiro mal gasto... ;-)

Diz só o nome de dois ou três programas que consideres então valerem os impostos que tu pagas?

Elfo disse...

Ó meus amigos, gh e f.cirilo, para o caso de não saberem a concordata já foi extinta para dar lugar a um ecumenismo mais alargado a todas as confissões religiosas deste país que se quer democrático. Ainda assim a parte de leão vai para os católicos apostólicos romanos que se consideram a maioria deste país, só porque quando nascemos fomos logo baptizados e contamos para as estatísticas da santa madre igreja. A verdade, é que há muita gente que se não identifica com a igreja católica e que, no entanto, lá consta nos registos de nascimento, e quando morrem lá vai o padre à frente do cortejo, quer o morto queira, quer não queira, pois há sempre uma alminha caridosa que diz que se o sujeito (ou sujeita) foi baptizado, então também deve ter funeral católico ou simplesmente cristão. Na verdade, vivemos numa sociedade em que impera a santa madre igreja católica apostólica e romana quando na verdade, se calhar, não têm assim tantos crentes como apregoam aos quatros ventos. Dou como exemplo: quase todos os ateus, testemunhas de jeová, manás, evangélicos, bahá'ís e outros que acordaram para as atrocidades que a santa madre igreja cometeu ao longo dos séculos, e que se desvincularam da igreja para enveredarem por outros caminhos, continuam a ser considerados católicos.
Eu tive de ir à câmara episcopal da Guarda para que o meu nome não constasse das listas (estatísticas) da igreja católica a fim de poder realizar o casamento misto, porque enquanto o não fizesse eu era considerado católico e como tal, ao estar a casar com uma catĺica o casamento nunca poderia ser misto, pois a minha conversão à Fé Bahá'í não era reconhecida pela igreja.
Eu fiz isso, mas quem tem a pachorra para lutar pelos seus direitos de crença?
Os amigos podem replicar que os impostos não deveriam ser gastos para propagandear as confissões reliosas..., mas só vieram à liça quando apareceram os Bahá'ís na t.v.! E quando os senhores priores, curas, abades, vigários, cardeais ou bispos e papas, vêm utilizar um espaço público pago por todos nós para fazerem campanhas, contra isto ou contra aquilo, não estão a usar o dinheiro dos meus impostos e dos vossos?
Ainda aqui não vi ninguém a indignar-se contra isto. Será que a santa madre igreja é intocável?

F. Cirilo disse...

Elfo,
- A concordata existe;
- O teu texto cheira a anti-catolicismo primário (“lá vai o padre à frente do cortejo”, “que impera a santa madre igreja católica”, ...). Não é que estejas a dizer falsidades, mas o tom não é comum entre baha’is.
- Se tiveste uma experiência desagradável com a igreja católica na Guarda, isso é motivo para criticar todos os católicos? Imagina que alguém é maltratado numa repartição de Finanças e começa a amaldiçoar todos os funcionários públicos? Era lindo, não era?
- Na verdade há muito tempo que sou contra a existência de tempos (políticos e religiosos) de antena e canais de televisão que sejam propriedade de partidos ou de organizações religiosas. E penso que isto se devia aplicar a todos, incluindo os baha’is, que eu admiro bastante.


Mikolik,
Tens razão. São poucos os programs de TV que merecem ser pagos com os nossos impostos. Mesmo assim, penso que os partidos e as religiões devem estar fora do audio-visual.

Daniella disse...

Pois é F.Cirilo cada um tem a sua opinião e cada um tem direito a sua escolha.
Como não é só a opinião de um ou outro que conta e vivemos numa democracia, devemos respeitar a opinião de todos e a discussão aqui não vale de nada e acaba onde um Elfo comenta algo que um F.Cirilo não gosta e o acusa de ser anti-catolicismo primário e depois já viu onde isto vai dar!!!
Quanto às necessidades de Portugal tem toda razão por exemplo a educação é uma destas necessidades e outra talvez se o governo investisse mais nas campanhas de sensibilização dos adolescentes e dos jovens em relação às drogas, à Sida, ao sexo, à prostituição e...pois realmente os nossos jovens são do género que acham que sabem tudo no entanto caiem na primeira armadilha.
Agora quero compartilhar convosco um texto que encontrei e fala da origem de Natal , sem ressentimentos, OK?
“Em ano 274 D.C. o imperador Aureliano oficializou o culto ao Sol, homenageando-O com a construção de um templo e denominou: "Dies Natalis Solis" (O Dia do Nascimento do Sol Inconquistável) e com direito a uma celebração a 25 de Dezembro o dia em que pensavam ser o inicio do solstício de Inverno.
Cerca de 75 anos depois o Papa Júlio I decretou que o nascimento de Cristo deveria ser comemorado no dia 25 de Dezembro, por substituição à veneração ao Deus Sol.
De facto os cristãos passaram a comemorar nessa data o nascimento do Messias visto este simbolizar a luz divina, o Sol da justiça. Quanto à verdadeira data do nascimento de Jesus Cristo ainda hoje permanece desconhecido e nos relatos bíblicos não se encontra qualquer referência sobre este facto.”

Elforadiante disse...

A Daniela tem razão quando diz que esta discussão poderia durar o ano inteiro. É verdade!
Mas também não deixaria passar esta oportunidade, para deixar bem claro que não tenho nada contra a Câmara Episcopal da Guarda, bem antes pelo contrário. Foram extremamente simpáticos e só não sabiam que João Paulo II tinha dado essas instruções, mas que se os Bahá'ís o diziam é porque era verdade. Disseram ainda que respeitavam muito os Bahá'ís.
O reverso da medalha é quando encontro um livro das edições paulistas (em Fátima) onde referem que os bahá'ís são uma seita perniciosa e perigosa. Tenho o opúsculo lá em casa e se o encontrar pespego com a capa aqui num dos meus blogs.
Um abraço,

Elfo

pedro disse...

Amigo Marco,

Obrigado por colocares o link para o programa no teu espaço e por fomentares a troca de ideias entre todos.

Quanto ao programa, o objectivo foi pura e simplesmente mostrar a forma como uma crente Bahá'í (e como muitos crentes Bahá'ís pelo mundo fora) vê e vive o Natal cristão. Como uma festa e uma celebração do aniversário do nascimento de mais um dos Manifestantes de Deus, neste caso de Jesus Cristo, que tal como Bahá'u'lláh, o Báb, Maomé, Moisés, Buda, Krishna, Zoroastro e outros, veio à Terra transportando a Mensagem Divina à Humanidade.

Uma boa passagem de Ano Gregoriano para todos,

p

Maria Lagos disse...

E a crente bahá'i que conseguiu despoletar esta polémica toda deseja a todos que o próximo ano de 2007 seja melhor do que foi este, que haja mais trabalho para todos, mais amor para todos que as guerras desapareçam e que as crianças possam viver em paz! Desejo também que os nossos impostos sejam, acima de tudo,dirigidos para os campos onde sejam mais úteis ao pleno desenvolvimento e bem estar dos cidadão do nosso País. Para além disso, faço votos que haja sempre liberdade religiosa no nosso país pois é um sinal de crescimento e tolerância que penso, nenhum de nós gostaria de ver desaparecer.
Obrigada Marco pelos posts que colocaste neste ano de 2006. Este último é muito óbvio - Dezembro com 16 graus!

Beijinhos e desejo-te um Ano 2007 muito feliz, junto da tua mulher, filhotes e restante família, bem como junto de nós todos, os teus Amigos!
Beijinhossssssssssssss