sexta-feira, 4 de abril de 2008

Vietname: 33 anos depois...

Se há fotos marcantes na história da comunidade bahá’í, esta é uma delas. Foi tirada recentemente na Cidade de Ho Chi Min, no Vietname, e mostra o encontro entre uma representante da Casa Universal de Justiça e um alto representante do Governo Vietnamita.



O que se passou, então?

Depois de no ano passado o Governo Vietnamita ter permitido as actividades da Comunidade Baha’i, este ano foi eleita a Assembleia Nacional Espiritual dos Bahá’ís do Vietname. É a primeira vez que os baha’is vietnamitas elegem uma órgão desde a unificação, em 1975. O facto do Governo Vietnamita ter autorizado este evento, e dos media estatais terem dado atenção ao evento, revela o nível de reconhecimento que os Bahá’ís alcançaram naquele país.

A Assembleia Nacional foi eleita numa Convenção Nacional, onde estiveram presentes baha’is de todo o país. Também estiveram presentes representantes de comunidades baha’is do Camboja, Indonésia, Laos, Singapura e Tailândia.

---------------------------------
FONTES:
Vietnamese Baha'is reach milestone with election of National Spiritual Assembly (BWNS)
Le Baha'i dispose du statut officiel (Le Courrier du Vietnam)

3 comentários:

GH disse...

Não foi em Cuba que o Governo também passou a tolerar os Baha'is?
Se estes comunistas todos se tornam baha'is, vocês têm aqui uma bela bota para descalçar!
Eh eh eh eh
Só para mudar aquelas mentalidades vão ser necessárias muitas horas/dias/meses/anos de treino.
Eh eh eh eh eh

Elforadiante disse...

E porquê GH? Será que conheces tão bem as ideologias socialistas que não possas ver pontos comuns? Será que teríamos de ostracizar os crentes que vêm da área socialista ou comunista (marxista-leninista) será..., será..., será...!?
Conheci amigos que vieram das hostes falangistas de Franco e outros que eram simpatizantes da ETA, como vês cabemos cá todos porque temos pontos comuns nas várias ideologias e, claro que temos pontos radicalmente opostos com todas elas.

entãoéassim... disse...

Se o gh me permite uma modestíssima opinião (por que irei dá-la na mesma :-)), penso que se "estes comunistas" (ou quaisquer outros) se tornassem bahá'is, a "bota" seria descalçada por si só, a "tarefa" estaria facilitada. Seria sinal que já se tinham operado transformações, quer a nível individual, quer eventualmente colectivo, no sentido de comungarem os princípios bahá'is. E os bahá'is não mais fariam do que "aceitá-los". "Unidade na diversidade" (com uns pozinhos em comum, no essencial)!