segunda-feira, 2 de junho de 2008

A Oposição Católica ao Estado Novo (1958-1974)



Uma das minhas leituras recentes foi "A Oposição Católica ao Estado Novo (1958-1974)". Trata-se de uma obra João Miguel Almeida (investigador do Instituto de História Contemporânea da Universidade da Universidade Nova de Lisboa) onde se analisam os diferentes momentos e episódios em que grupos de católicos progressistas afirmaram abertamente a sua oposição à ditadura portuguesa.

O livro descreve as circunstâncias e consequências de eventos marcantes, como o exílio do Bispo do Porto, D. António Ferreira Gomes (1959); o concílio do Vaticano II (1962-1965) e a encíclica Pacem Terris (1963); a suspensão e excomunhão do Padre Felicidade Alves (1968); as diversas publicações clandestinas (ou semi-clandestinas) onde católicos progressistas davam a conhecer os seus pontos de vista e faziam eco da imprensa europeia; o relacionamento conturbado com a Santa Sé (Paulo VI visitou Fátima(1967) e mais tarde recebeu os lideres dos movimentos de libertação africanos (1970)); e a vigília na capela do Rato (1972).

A oposição católica não era uma força organizada; seria mais correcto afirmar que se tratava de um estado de espírito que animou diversos homens e mulheres a partir de 1958. Trabalhando à revelia da hierarquia da Igreja Católica (que apesar de não fazer política, abençoava e legitimava moralmente a ditadura), as suas acções e iniciativas mostraram uma cada vez maior oposição à guerra colonial, e um empenho crescente na defesa da liberdade e da democracia.

O livro merece, portanto, uma leitura atenta, sobre tudo de quem tem um interesse sobre o relacionamento da Igreja Católica com o Estado Português durante o antigo regime.

NOTA: Se algum dos visitantes brasileiros deste blogue puder recomendar um livro equivalente sobre a oposição católica à ditadura no Brasil, ficaria muito agradecido.

2 comentários:

Carlos Moreira disse...

Talvez você possa encontrar algo em Frei Beto, escritor e defensor da Teologia da Libertação, que teve forte atuação política aqui no Brasil. Pesquisei um pouco e também achei o seguinte: BRASIL: NUNCA MAIS - é um livro escrito por Dom Paulo Evaristo Arns, e que conta as torturas que ocorriam no Brasil na época da ditadura militar

Marco disse...

Obrigadão, Carlos!
:-)