sexta-feira, 11 de julho de 2008

Publicidade Religiosa (2)



Mais estranho que um anúncio de uma empresa de mudanças que nos exorta a confiar em Deus, é uma etiqueta de roupa que proclama que Jesus é o caminho. O caso chegou-me às mãos através de uma peça de roupa comprada no Brasil. Não sei que aceitação tem uma iniciativa destas nos diferentes estratos da sociedade brasileira; a minha irmã (que mora há alguns anos em Curitiba) afirma: "Pegou moda nas etiquetas dessa empresa. E o que mete raiva é que os produtos deles têm qualidade!"

Com qualidade ou não, na minha perspectiva (e lembro que culturalmente eu sou português) os autores desta iniciativa parecem não ter percebido o ridículo da sua iniciativa. Claro que não pude deixar de imaginar Jesus vestindo um pijama de cores topázio e preto. Ficaria bem original, bem diferente daquelas imagens estereotipadas com túnicas brancas.

Talvez isto seja apenas um choque cultural. Mas serve para lembrar uma coisa: um método de divulgação de uma mensagem religiosa pode ser aceitável e digno num país e inaceitável e indigno noutro. Infelizmente, nem todas as religiões se lembram da diversidade cultural do planeta.

6 comentários:

entãoéassim... disse...

Ficamos com a ideia de que não haverá ASAE no Brasil, sob pena de os pijamas serem confiscados por propaganda enganosa. Ou talvez não, porque se o produto até tem qualidade...
Gostei do quadro imaginado pelo Marco, embora as túnicas fossem mais práticas de vestir, lavar e não precisarem de se passar a ferro, e não incomodassem por não terem botões...Ainda assim preferia cor púrpura com um nadinha de azul petróleo.
Entendo o slogan, só achando que está incompleto (talvez por já não haver espaço na etiqueta). Devia ler-se: "Jesus, o caminho...para um sono tranquilo".
Só não sei o que é "biopolimento", certamente será este pormenor que faz toda a diferença na qualidade... :-)

Anónimo disse...

Bom já vi por aí:
Agência Paraíso
Sono Divino

Mas são funerárias.
Também temos umas para ateus:
Zé dos anzóis.

Carlos Moreira disse...

Por aqui no Brasil encontramos esse tipo de "marcas": Deus é fiel; Jesus te ama; e por aí vai. Parece um tipo de senha que diz algo assim - "se você é da minha religião compra esse produto".
Acho a coisa meio grave. Assim como vemos acontecer com produtos, também pode ocorrer com os serviços.
Há algum tempo soube de publicações de oferta de emprego condicionado à pertencer a determinada crença. Não li matéria, mas tampouco duvido de que tenha ocorrido.

Marco disse...

Carlos,
Se vc vir algum anúncio de oferta de emprego condicionado à religião, poderia enviar-me um scan?
marco_oliv (a) yahoo (ponto) com

Elforadiante disse...

Bom... sempre ouvi dizer que não invocarás o santo nome de Deus em vão...
Mas a Dad tem razão! Quando por tudo e por nada se invoca : Ai Jesus, ohhhhhhh meu Deus, e os brasileiros: minha santa nossa, os espanhois: Jesus, Maria, José!

entãoéassim... disse...

Com a actual crise generalizada de emprego quantos crentes de determinadas religiões estarão dispostos a "fidelizar-se" a outras, tudo em nome do "ganha-pão"!?
Aí está uma boa oportunidade de se testarem!