domingo, 21 de dezembro de 2008

Polícia Iraniana encerra escritórios de Shirin Ebadi

Várias Agências Noticiosas e canais de TV deram a conhecer esta tarde que as autoridades iranianas encerraram os escritórios de Shirin Ebadi, a conhecida prémio Nobel da Paz 2003 e prestigiada activista dos direitos humanos.
Teerão, 21 Dez (Lusa) - A polícia iraniana fechou hoje as instalações do Círculo de Defensores dos Direitos do Homem, dirigido pela Prémio Nobel da Paz de 2003, Shirin Ebadi, marcando um endurecimento do poder em relação às organizações de direitos humanos.

"O encerramento dos nossos escritórios sem ordem judicial é um acto ilegal e vamos protestar", afirmou Shirin Ebadi, que se encontrava no local no momento da intervenção policial.

A polícia não apresentou qualquer justificação para o encerramento das instalações, mas a agência semi-oficial Mehr adiantou que foram fechados "sobre decisão judicial" porque o grupo não tem autorização do Ministério do Interior para "efectuar as actividades".

Os partidos políticos e as associações precisam de uma autorização do Ministério do Interior para serem reconhecidos legalmente.

"É evidente que este acto não é uma mensagem positiva para os activistas dos direitos do Homem, mas vamos continuar a fazer o nosso dever, sejam quais forem as circunstâncias", declarou Shirin Ebadi.

O Círculo dos Defensores dos Direitos do Homem foi fundado por um grupo de advogados, entre os quais a Prémio Nobel da Paz de 2003, Shirin Ebadi, e tem combatido a falta de respeito pelos direitos humanos, nomeadamente a multiplicação da pena de morte aplicada a menores de 18 anos.

O novo código penal iraniano tem sido igualmente alvo das críticas da organização, que, consideram, ignora os direitos das Mulheres e baseia-se numa interpretação "incorrecta" do Islão.

Depois de ter recebido o Nobel da Paz, Ebadi foi várias vezes ameaçada de morte, tendo o presidente Mahmoud Ahmadinejad ordenado um inquérito às ameaças e protecção policial à activista.

Ebadi tornou-se em 1974 a primeira mulher juiz do Irão, mas a revolução islâmica de 1979 vedou a magistratura às mulheres.

Ebadi prosseguiu, contudo, a sua actividade a favor dos direitos humanos nomeadamente das mulheres e das crianças.

--------------------
COMENTÁRIO:

Shirin Ebadi e a sua filha têm sido alvos de diversas difamações e ofensas desde que a Drª Ebadi decidiu aceitar a defesa dos sete dirigentes Baha’is iranianos detidos no passado mês de Maio. Será que há alguma relação entre isto e o encerramento dos seus escritórios?

7 comentários:

entãoéassim... disse...

Era um fim anunciado, não? Veremos se fica por aqui (ofensas e ameaças parece não faltarem).
No entanto podem colocar-se algumas questões:
- será verdade que estas instalações estão estabelecidas ilegalmente? Estranho, vindo de uma advogada...
- se assim for, porque só agora as autoridades resolveram encerrá-las?
- alguém soube do resultado do tal inquérito ordenado por Ahmadinejad? (curiosa atribuição de "protecção policial" à Srª Ebadi, quando a própria polícia lhe encerra os escritórios...).
Incoerências não faltam!

Já agora, o que significa agência "semi-oficial"?

AMIR SHAFA disse...

Amigos,
isso é apenas o incio do fim deste regime corrupto que usa a religião como uma vestimenta.
vamos torcer para que o exemplo desta corajosa Senhora seja de inspiração que milhares de jovens iranianos possam ter a coragem de desafiar toda e qualquer forma de manipulação!

Marco disse...

Amir,

Os Baha'is não exigem uma mudança de regime no Irão. Apenas respeito pelos mais elementares Direitos Humanos.

Mas é verdade que o regime iraniano usa a religião como justificação para muitos dos seus abusos. E que os iranianos que enfrentam o actual regime têm muita coragem.

GH disse...

Marco:

E é possivel uma mudança de hábitos sem uma mudança de regime?

entãoéassim:
Boa argumentação. Vc deve ser advogado(a)...

entãoéassim... disse...

GH,

...ou isso...
:-)

Marco disse...

GH,

Cuba e o Vietname têm regimes repressivos cuja atitude em relação à Fé Baha'i mudou nestes últimos anos.

Mas que fique claro que não é por causa disso que deixo de dizer que esses regimes cometem violações de Direitos Humanos.

amir shafa disse...

Marco..
o que quiz dizer foi que a população jovem Iraniana, indenpendente dos Bahá'ís, possa despertar e fazer sua mudança.
Sem violência ou influência politica.
Quero dizer uma nova sociedade sem apegos a este ou aquele sistema politico.
é evidente que os Bahá'ís não devem e nem podem participar de qualquer revolução, e sim ajudar sua Fé, cujo principio é a Unidade.
abraços