terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Se eu fosse convidado...



É hoje que Barack Obama toma posse como Presidente dos Estados Unidos da América. Na cerimónia de inauguração estarão diversos convidados distintos, personalidades conhecidas da política, das artes e da religião. Entre as individualidades conhecidas ligadas às diversas comunidades religiosas dos Estados Unidos destacam-se um bispo episcopal gay, a presidente da Islamic Society of North America (que é uma mulher!), três rabis, o pastor de uma Mega-Igreja...

O meu amigo Phillipe Copeland pergunta-nos: se estivéssemos na cerimónia de inauguração que oração escolheríamos? A minha escolha seria uma oração revelada pelo Báb:
Glorificado és Tu, ó Senhor meu Deus!
És, em verdade, o Rei dos Reis.
Conferes soberania a quem quer que desejes e dela privas qualquer um que Tu queiras.
Exaltas a quem quer que desejes e rebaixas qualquer um que Tu queiras.
Tornas vitorioso quem quer que desejes e humilhas qualquer um que Tu queiras.
Concedes riqueza a quem quer que desejes e reduzes à pobreza qualquer um que Tu queiras.
Fazes que quem quer que desejes prevaleça sobre qualquer um que Tu queiras.
Em Tuas mãos seguras o império de todas as coisas criadas, e através da potência de Teu mandamento soberano chamas à existência quem quer que Tu desejes.
Em verdade, Tu és o Omnisciente, o Omnipotente, o Senhor de Poder.
Uma das formas como os bahá'ís descrevem a situação actual do mundo é dizer que se encontram em actividades dois processos: um de desintegração (da velha ordem mundial) e outro de integração (de uma nova ordem mundial). Olhando para os agentes políticos mundiais facilmente consigo identificar aqueles que contribuem para a desintegração do mundo e os que contribuem para um mundo melhor. A minha oração escolhida para a inauguração da Presidência de Barack Obama não é pelo seu sucesso pessoal ou político; é para que o seu trabalho o leve a ser recordado um dia como um homem que conseguiu dar um contributo para um mundo melhor. Nesse aspecto, todos os políticos eleitos merecem uma oração.

1 comentário:

entãoéassim... disse...

Na linha desse raciocínio, i.e., na esperança que Obama contribua indubitavelmente para um mundo melhor, eu escolheria uma oração de Bahá'u'lláh, invocando qualidades espirituais:
Suplico-te, Oh meus Deus, pelo Teu poder, pela Tua grandeza e soberania, as quais abarcaram todos os habitantes do Teu céu e da Tua terra, que mostres aos Teus servos esse Caminho luminoso e essa Estrada recta, para que reconheçam Tua unidade com uma certeza que fique inabalável ante as vãs imaginações dos incrédulos e que não seja obscurecida pelas fantasias fúteis dos refractários. Ilumina, Oh meu Senhor, os olhos de Teus servos, e esclarece-lhes o coração com a luz replandescente do Teu conhecimento, de modo que percebam a grandeza desse mais sublime grau e reconheçam esse mais luminoso Horizonte, para que o clamor dos homens não consiga impedi-los de dirigir o olhar à luz refulgente da Tua unidade ou de contemplar o Horizonte do desprendimento.