sábado, 5 de abril de 2008

Egipto: uma evolução positiva

Na semana que agora termina, um artigo no jornal Al-Masry Al-Youm anunciou que o Ministro do Interior não iria recorrer da decisão do Tribunal Administrativo - de 29 de Janeiro - que reconheceu aos baha'is egípcios o direito de possuir bilhetes de identidade e certidões de nascimento. Na verdade, o prazo para recorrer da sentença (dois meses) já tinha expirado; e esta foi uma forma aceitável para o Governo se livrar de uma caso complexo que tinha em mãos.

De acordo com esta decisão, o Ministério do Interior emitirá bilhetes de identidade onde a identificação de filiação religiosa ficará preenchida com dois traços (“--“). E apressaram-se a esclarecer: "Isto não implica um reconhecimento da religião Bahá’í". Não houve qualquer esclarecimento sobre a possibilidade de emissão de bilhetes de identidade para cidadãos que desejem que a religião não seja mencionada nos seus documentos.

Entretanto, o Ministério da Educação emitiu um comunicado onde afirma que os alunos que desejem completar o ensino secundário terão de escolher entre fazer um exame sobre Islão ou Cristianismo; só existem estas duas possibilidades! Fica por aberto qual a religião que os alunos podem preencher nos impressos de inscrição para estes exames.

----------------------------------------------------
FONTES:
Egypt's Ministry of Interior Will Not Appeal Ruling on Baha'is (Baha’i Faith in Egypt)
Egypt's Interior Ministry Decides on "Dashes" for Baha'i IDs (Baha’i Faith in Egypt)

6 comentários:

Anónimo disse...

Em todo o caso o Alcorão "legitima" além do Islão e Cristianismo, o Judaísmo, zoroastrinismo e a religião sabeana - esta última já perdida na história.

João Moutinho

GH disse...

João Moutinho!
Você andava desaparecido, homem!
Até que enfim que você volta a fazer um desses comentário meio estranhos.
A propósito do seu comentário: diga lá onde é que o Corão menciona o Zoroatismo?

iuri disse...

não me parece que o alcorão "legitima" o zoroastrinismo e a religião sabeana

AN disse...

"legitima" as anteriores, nunca as posteriores...

iuri disse...

Não há nenhuma referencia no alcorão sobre o zoroastrianismo, o alcorão reconhece directamente 3 religiões, o judaismo, o cristiniasmo, e o islao. A unica razão que o zoroastrianismo tem "reconhecimento" no irão é por ser uma religião tão antiga e ter sido durante muito tempo a religião dos persas, e além disso são muito poucos, apenas 22 mil crentes (comparado com os 650 mil bahais , e só estou a contar os que ainda estão no irão).

Já agora é interessante notar que a maior parte dos zoroastrianos no irão se tornaram Bahais.

Elforadiante disse...

Olha o amigo João Moutinho!?
A evolução do executivo egípcio vem abrir uma janela, mas para que conste o governo egípcio deu um enorme contributo à divulgação da FÉ Bahá'í, não só no Egipto como em toda a parte onde se falou e discutiu este problema. O Báb dizia que era bom que os Seus Escritos fossem roubados, porque assim a Sua Mensagem seria difundida aos sítios onde os crentes não se atreveriam a ir. Assim também e é útil a oposição aos bahá'ís dos vários governos do mundo porque assim disseminam o nome de Bahá'u'lláh e de 'Abdu'l-Bahá pelo mundo inteiro.