domingo, 10 de outubro de 2010

Falta de bom senso

Fernando Madrinha escrevia ontem no Expresso:
(...) Ricardo Gonçalves, eleito e reeleito por Braga desde 1999, diz que 67 euros de ajudas de custo por dia , ainda que somados aos 3700 euros de vencimento, não chegam. "Quase não temos dinheiro para comer", desabafou, sem se dar conta como ofendia os muitos portugueses que, de facto, quase não têm dinheiro para comer.

A coisa pode ser vista como apenas mais um contributo para o anedotário político nacional. Mas, numa semana em que tanto se falou de ética republicana e parlamentarismo, pode a Assembleia inverter a via da decadência com exemplares destes a serem eleitos de legislatura para legislatura?

2 comentários:

Amir Shafa disse...

Marco,
este é um exemplo que infelizmente está presente em cada canto deste mundo..como sociedade somos egocêntricos e desorganizados.
Se pelo menos este SR pudesse passar um tempo no nordeste Brasileiro ou nos países pobres da África..dai sim ele iria mudar o conceito de limitação financeira.

Marco disse...

Amir,

Este é um exemplo que mostra como os "representantes do povo" desconhecem a realidade que vive o povo.

Os sistemas de políticos democráticos não podem continuar reféns da partidocracia.