quinta-feira, 28 de abril de 2005

Cultura Geral

Num post anterior, encontrei este comentário:

Podes explicar-me a diferença entre babis e bahais? Tinha para mim que Bab era uma espécie de João Baptista de Bahá'u'lláh. Mas a maneira como ele, neste post, aponta para si próprio desmente tal ideia. Ainda hoje existem babis? Ou seja, os babis não aceitam Bahá'u'lláh ao mesmo nível que Bab? E os Bahais, como o consideram?
Eu sei que são muitas perguntas, mas as respostas podem dar uma boa ajuda à minha cultura geral.

Anonymous #2
Este leitor já é "conhecido"; troquei com ele uma algumas opiniões a propósito do encontro inter-religioso na Igreja de s. Nicolau. Aqui fica o esclarecimento:

Os bahá'ís consideram o Báb e Bahá'u'lláh como Profetas fundadores de grandes religiões mundiais. Para nós, Eles estão no mesmo plano espiritual que Abraão, Moisés, Cristo, Buda, Zoroastro, e Maomé.

Os bahá'ís acreditam que no século XIX surgiram dois Profetas: o Báb e Bahá'u'lláh. O Báb pode ser visto como um precursor de Bahá'u'lláh, à semelhança do que João Baptista fez com Jesus Cristo. No entanto, o Báb, além de anunciar o aparecimento de Bahá'u'lláh, definiu um conjunto de leis e ensinamentos, revelou livros e epístolas e criou instituições que deviam reger a comunidade dos Seus seguidores. Desta forma, o Báb era mais do que uma "voz que brada no deserto"; Ele fundou uma religião.

O Báb é indissociável da religião bahá'í; não consigo conceber a minha religião sem o Báb. As escrituras do Báb são consideradas escrituras bahá'ís. Alguns autores baha’is designam o Báb e Bahá'u'lláh como "Manifestantes Gémeos"”; há também muitos sites e livros que referem o Báb, Bahá'u'lláh, e 'Abdu'l-Bahá (o filho de Bahá'u'lláh) como as "Figuras Centrais da Fé Bahá'í".


O Santuário do Báb, no Monte Carmelo (Haifa),
é hoje um local de peregrinação dos Bahá’ís

É interessante notar que algumas leis e ensinamentos definidos pelo Báb, foram aceites e confirmados pela religião Bahá’í. Foi a partir do terceiro exílio (Adrianópolis, 1863-1868) que a maioria dos Babis, que tinham aceite Bahá'u'lláh como o Prometido anunciado pelo Báb, começaram a designar-se como bahá’ís.

A palavra Baha'i significa "Seguidor de Bahá"; a palavra Babi significa "Seguidor do Báb". Na maioria das referências que são feitas a estas religiões, as palavras Babi e Baha'i surgem muitas vezes como sinónimos. Há quem use a palavra babi para se referir a uma fase embrionária da religião baha'i.

Ainda hoje existem Babís que aguardam a chegada do Prometido; não sei exactamente quanto sejam. Eles consideram que Bahá'u'lláh foi apenas um dos discípulos do Báb. A estes juntam-se ainda pequenos grupos de carácter esotérico que consideram que o Prometido teria sido um outro discípulo do Báb (Tahirih, Quddus ou outro).

6 comentários:

Anónimo disse...

Depois da tua magistral resposta sinto-me tentado a fazer um pequeno acrescento acerca da figura do Báb. Ele é a "Porta" de que Jesus falou.
É interessante notar que quando te referiste aos fundadores conhecidos das diferentes religiões não mencionste Krisna (fundador do Hinduísmo), ora se Ele for contabilizado verificamos que o Báb é o oitavo, e no Alcorão está escrito "Sobre o número oito reposará o Trono do Senhor".
O primeiro português a referir-se aO Báb é Eça de Queirós em Correspondência Fradique Mendes, em que falava de uma personalidade semelhante a Jesus Cristo que surgiu nas terras da Pérsia.

João Moutinho

Marco disse...

"magistral resposta"???

Elfo disse...

Às vezes não sei estar calado..., depois da "Magistral Resposta", não tenho muito a acrescentar, no entanto, gostaria de dar uma achega - como se diz na minha terra -, acerca deste tema que me é tão caro.
Se eu não fosse babí, não poderia ser bahá'í, e, sendo bahá'í sou forçosamente muçulmano e cristão, budista e zoroastriano, judeu e hinduísta, e também sabeanista.

No fundo sou um crente na Causa de Deus para esta Era Bahá'í que começou com o Báb em 1844.

Anónimo disse...

Marco

Obrigado pela explicação. Foi bastante clara.

anonymous #2

Anónimo disse...

E num tempo como o nosso em que a figura masculina ainda é o primeiro plano, ainda não chegámos ao equilíbrio total entre o homem e a mulher, que tal falarmos de Tahirih uma personagem tão importante na Causa Bahá'i?

Dad

Marco disse...

Dad,
Eu já escrevi sobre Tahirih (podes ver o link no post)e sobre Bahíyyih Khánum (a irmã de 'Abdu'l-Bahá).
Sobre Tahirih não encontrei ainda muito mais informação do que ali apresentei.
Mas tenho em mente escrever sobre outras mulheres como Lua Getsinger, Juliet Thompson e Marha Root.